EM VIAGEM PELA TURQUIA – 44 – por António Gomes Marques

(Continuação)

É considerada a Mesquita mais importante de Istambul, fundada por Solimão, o Magnífico, construída entre 1550 e 1557, um pouco acima do Corno de Ouro. Encontra-se aqui o túmulo do seu fundador, mas também o da sua amada russa Roxelana.

Foi Koca Mimar Sinan (c. 1491 – 1588) o seu arquitecto, cristão oriundo da Anatólia, que de engenheiro militar se tornou no arquitecto chefe imperial graças ao afecto de Solimão I, vindo a ser um dos grandes arquitectos do Império, com mais de 100 mesquitas e duas centenas de edifícios no seu currículo.

À entrada deixámos os sapatos e as senhoras tiveram de tapar a cabeça. No interior, logo somos atraídos, como portugueses que somos, pela magnificência dos seus azulejos.

O silêncio naquele espaço imenso é por nós sentido como natural; temos a sensação de estar envolvidos por uma beleza que nos apazigua com o mundo.

Sinan ter-se-á inspirado na Catedral Bizantina de Santa Sofia, que o sultão Mehmed II converteu em Mesquita quando conquistou Constantinopla (Istambul), mas não superou esta no tamanho, superando-a, isso sim e de que maneira, na luminosidade. É também mais simétrica, parecendo um quadrado, sendo o seu interior um espaço sem divisões, com 59 x 58 metros.

«O desenho de Süleymaniye também joga com a intenção de Solimão se representar a si próprio como um segundo Salomão, evocando analogias com a Cúpula da Rocha em Jerusalém, construída no lugar do Templo de Salomão, e com as célebres palavras proferidas pelo imperador bizantino Justiniano I quando entrou pela primeira vez em Santa Sofia após a igreja estar concluída — «Ultrapassei-te, Salomão!». A mesquita Süleymaniye, similar em magnificência às estruturas anteriores, afirma a importância histórica de Solimão.(v. http://pt.wikipedia.org/wiki/Mesquita_Suleymaniye)».

A sua cúpula tem uma altura que é, sensivelmente, o dobro do seu diâmetro.

A Mesquita foi erguida nos terrenos do antigo Palácio Eski Saray, onde funcionava a corte do sultão antes de ter passado para o Palácio Topkapi, que também visitaremos.

Em 1660 a Mesquita sofreu um incêndio, tendo sido Mehmed IV a mandar restaurá-la; no entanto, os problemas não ficaram por aqui, dado que, em 1766, um terramoto fez com que parte da sua cúpula se desmoronasse, o que levou a que as decorações originais de Koca Mimar Sinan se perdessem e, por na I Guerra Mundial o seu pátio ter sido usado para depositar armamento, aconteceu um novo incêndio, desta vez das munições ali depositadas, só se concluindo a sua restauração em 1956.

Mesquita de Süleymaniye

(Continua)

Leave a Reply