APRe! – Informação

APRE!C~1

Caros Associados

Como devem ter reparado e alguns associados me chamaram a atenção, houve dois dados errados na última mensagem que enviei.: a audiência na 5ª Comissão (de Orçamento e Finanças) para defendermos a nossa petição vai ser no dia 3 de JANEIRO na A.República e não de Outubro como referia o texto. Também a frase” Hoje recebi um mail de um Associado onde falava de um movimento de reformados anónimos que fizeram um manifesto e que se vão manifestar no dia 27 de DEZEMBRO no aeroporto de Lisboa(!)”, e não de Outubro. Estava mesmo fixada em Outubro!

Pedido da Manuela Vilarinho (elemento da C.I. responsável pela Base de Dados):

Como as primeiras fichas enviada (que se encontram ainda em circulação) não tinham a possibilidade de colocar o nº de pensionista e se verificou ser necessário, solicito a todos os inscritos na Base de Dados a gentileza de serem os próprios a fazê-lo. Para isso deixo aqui um Link a isso destinado:
http://serve.selfip.com:1024/APRE/adenda.htm

Alguns associados têm enviado links sobre notícias que nos dizem respeito. Assim, para conhecimento de todos, envio esses links:

http://www.noticiasaominuto.com/politica/27952/grave-erro-do-governo-com-reformados-n%c3%a3o-escapar%c3%a1-%c3%a0-faca-constitucional

http://www.noticiasaominuto.com/economia/27938/ocde-portugal-n%c3%a3o-deve-cortar-demasiado-nas-presta%c3%a7%c3%b5es-sociais

O link que se segue diz respeito a um artigo da jornalista Fernanda Câncio no DN. em: http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=2959102&seccao=fernanda+c%e2ncio&tag=opini%e3o+-+em+foco

Do nosso Associado António Manique, responsável pelo Texto APRe! para a Europa recebi a seguinte informação:

Já enviei os textos para as seguintes entidades:

 

– Rede Eurocapitales (que agrega organizações de todos os países  europeus);

 

– Dirigentes do Movimento Europeu de todos os países da UE (o ME tem muita influência em boa parte da Europa e promove debates sobre as questões mais importantes da UE);

 

– Federação Francesa das Casa da Europa (agrega 35 Casas da Europa em toda a França).

 

Suponho que por estas vias os textos chegarão onde nos interessa, vamos ver se temos algum feed-back.

 

Do Associado Artur Álvaro Pereira recebemos a seguinte nota:

Quero chamar a atenção para o facto de uma das acções que a APRe quer levar a cabo como contestação poder não resultar em pleno. É ela, “à  hora do discurso de “Boas Festas” do Pedro Passos Coelho, (e, já agora,também quando o PR o fizer) desligar a TV”.

Ora bem, isto poderá, eventualmente, fazer efeito nos telespectadores que assistam por TDT (Televisão Digital, Terrestre, mas mesmo assim duvido; os que tiverem televisão por cabo ou satélite, o desligar do televisor não surtirá qualquer efeito porque a box continuará sintonizada no canal onde decorre o discurso.

O ideal será desligar a box – e, já agora também a caixa do TDT – ou, no mínimo, no caso das televisões por cabo ou satélite, mudar de canal. Os pontos de medição das preferências dos telespectadores (Marktest, Univ. Católica, e outros afins) verificarão a súbita fuga do canal em questão para outros onde não seemite o discurso de Natal ou um “apagão” se as boxes das TV Cabo/Satélite ou a caixa da TDT forem desligadas.

Convinha alertar todos para o facto, que eu farei o mesmo entre os meus contactos que Possam ainda não ser associados da APRe.

Outras notícias:

Como referi na mensagem anterior, enviámos um novo texto às entidades oficiais (Presidente da República, Presidente da Assembleia da República, Primeiro-ministro, Provedor de Justiça, Presidente do Tribunal de Contas, Deputados e Lideres Parlamentares) para perceberem que não desistimos. O texto segue em anexo com o nome “APRe! – Carta”

Também envio, em anexo, o texto do Fernando Madrinha que saiu no Expresso desta semana, e ainda a carta que o Associado Carlos Alberto Vaz  escreveu como resposta ao artigo de José Manuel Fernandes (JMF) no Público e a resposta deste.  Segue ainda o texto que a Associada Aida Santos  enviou para o Público, também como resposta a JMF.

Circula na NET uma carta assinada em nome da APRe! (APRE) que não foi escrita por nós. Quando enviamos qualquer documento, colocamos sempre o nome de quem o elabora. Lamentamos este procedimento pois põe em causa a comunicação que a APRe! tem vindo a fazer.

Reafirmo que a manifestação de 27 de Dezembro convocada para o Aeroporto de Lisboa não tem nada a ver com a APRe! Nós achamos que é mais uma manobra de quem nos quer dividir e confundir. A APRE! não fará manifestações no Aeroporto, quando as fizer será junto das entidades oficiais e com o objectivo de reclamar dos nossos direitos de aposentados, reformados e pensionistas.

Na sexta-feira passada, dia 21, fomos recebidos pelo Professor Gomes Canotilho a quem expusemos as nossas questões sobre a inconstitucionalidade do OE. Foi uma verdadeira aula de Direito Constitucional aquela que ouvimos durante mais de duas horas, com o prazer de quem está perante um Mestre nesta matéria. O Professor garante que as medidas constantes no OE são inconstitucionais e utiliza para tal uma argumentação jurídica, com base na Constituição, que vai ser muito útil para o nosso argumentário. Dada esta época ser uma época especial, não foi possível ainda fazermos um texto com os apontamentos que os três elementos da CI retirámos desta conversa (eu, o José Vieira Lourenço e a Maria João Neto). Logo que o façamos, depois desta quadra festiva, envio-vos.

Finalmente a Mensagem de Natal que enviei para o Blogue e Facebook:

Estamos no Natal mas este é um Natal diferente de todos os outros. Os cristãos celebram o nascimento de Jesus há 2012 anos, mas o Natal, mesmo para estes, não tem apenas um sentido espiritual, mas também um sentido humano: é a festa da família em que se reúnem diferentes gerações e em que, com presépio ou sem ele, com árvore de natal ou sem ela, se juntam às refeições e trocam os seus presentes comprados com todo o entusiasmo de quem tem prazer em dar.

Mas este ano é mesmo diferente, o comércio queixa-se, deixaram de vender, a restauração queixa-se, não tem clientes, as famílias queixam-se, não podem comprar os presentes, ainda que insignificantes, para fazer as habituais trocas; as crianças queixam-se, não têm árvore de natal, os jovens queixam-se, não podem comprar aquele CD que  comprariam nesta altura, os adultos queixam-se, muitos estão desempregados e para eles o maior presente de Natal seria um emprego e nós, reformados, queixamo-nos com o ataque de que estamos a ser alvo. As pessoas têm um semblante fechado, estão tristes, as ruas e centros comerciais estão mais silenciosos, todos aguardam, cheios de angústia, o ano que está para vir. Mas, citando um associado, diria como ele “Já perdi algumas lutas; mas perdi sempre que desisti “, e nós não vamos desistir. Vamos mostrar que temos razão e que em cada renascimento anual, nós também renascemos com mais força e convicção. Para todos votos de BOAS-FESTAS!

A Coordenadora da APRe!

Maria do Rosário Gama

Leave a Reply