Pentacórdio para Quarta 23 de Janeiro

por Rui Oliveira

 

 

06-aldinaduarte - Copy   Nesta Quarta-feira 23 de Janeiro o nosso destaque iria para o concerto “Mais um Fado no Fado” que a cantora Aldina Duarte dará no Grande Auditório da Culturgest, às 21h30, acompanhada por José Manuel Neto guitarra portuguesa e Carlos Manuel Proença viola e para o qual convidou Ana Moura, António Zambujo e Júlio Resende piano.

   Serão certamente cantados temas dos seus discos Apenas o Amor (2004), Crua (2006), Mulheres ao Espelho (2008) e Contos de Fados (2011) com aquela “sua postura de artista (e aqui citamos Rui Vieira Nery na introdução do programa) – o de alguém para quem a relação com o Fado passa por um registo constante e incandescente de paixão, mas também por um percurso por vezes quase cruel de introspecção e pela descoberta fascinada de múltiplos olhares sobre o mundo, pela mão dos poetas, dos artistas, dos fabricantes de sonhos e de mitos fundadores.

   Tudo isto assenta sempre nos alicerces de um repertório de fados estróficos depurados pelo tempo, tão firmes e enganadoramente simples nos contornos essenciais que os definem como livres e complexos nos desenhos novos e inesperados que o seu canto lhes sabe dar em cada revisitação.

   Tudo acontece pela mediação de um discurso poético rigoroso, assumidamente contemporâneo, sem concessões, em que a sua própria voz de poeta emerge com frequência, lado a lado com a de tantos grandes criadores da Língua portuguesa, como uma força tão marcante como o canto”.

   Eis o tema “Gato escaldado” do seu último álbum Contos do Fado :

 

  Quem quiser continuar a ouvi-lo em “Apenas o Vento” clique http://youtu.be/JJOS8njhYs4 ou em “Uma Outra Nuvem” aqui  http://youtu.be/sQOglB7eIBQ

 

   Outro motivo de interesse será o novo Concerto Antena 2 que nesta Quarta-feira 23 de Janeiro ocorre no Auditório da Escola Secundária de Camões, às 19h, com entrada livre, onde o pianista João Bettencourt da Câmara cumprirá o seguinte programa :

      Franz Liszt  Fantasia e fuga sobre o tema BACH em Sol menor, BWV 542

      Franz Liszt  Grosses Konzertsolo para piano, S. 176  

      Franz Liszt  Sonata em Si menor

Photos%20Joao%20%20020%20(470%20x%20702)_jpg   Este jovem pianista de 24 anos, aluno de vários pianistas de renome internacional, como Helena de Sá e Costa, Tânia Achot, Sequeira Costa, Artur Pizarro, Pedro Burmester, Dmitri Bashkirov, Galina Eguiazarova, Martin Roscoe, Ruth Nye e Aldo Ciccolini, é actualmente doutorando da Universidade de Aveiro, sob a orientação de Pedro Burmester.

   Iniciou a sua carreira internacional em Junho de 2007, realizando uma digressão nos Estados Unidos da América onde, após assistir ao seu recital em Washington, o crítico Stephen Neal Dennis, da revista All Arts Review, escreveu: “History was made last night (…) when the concert by young Portuguese pianist João Bettencourt da Câmara ended … For a generation that never knew the young Sviatoslav Richter, one is forced to wonder how much more Richter himself could give at the age of 19”. Estreou e gravou, em Abril de 2011, em Abilene (Texas, EUA), a obra do compositor americano Bernard Scherr Music in colors: On the paintings of João de Brito.

   Temos o registo da execução por João Bettencourt da Câmara da primeira peça do concerto em Novembro de 2011 :

   Quem pretenda ouvir a última peça, a Sonata em Si menor, tem a 1º parte em http://youtu.be/tSzkuqggJ3c

   Estreia no Teatro do Bairro (Rua Luz Soriano nº 63, Bairro Alto), às 21h desta Quarta-feira 23 de Janeiro, o espectáculo “Morreste-me”, um texto de José Luís Peixoto, adaptado e encenado por Cátia Ribeiro e Sandra Barata Belo e interpretado  por Sandra Barata Belo.

Morreste-me - Teatro Bernardim Ribeiro Alentejo   Afirmam : “Pensámos no voltar a uma “terra agora cruel” com o objetivo de fazer o luto. De enterrar todos os pormenores terríveis para conseguir reorganizar e refazer a vida. A falta de quem amamos deixa-nos vazios, com pouca vontade de caminharmos sem ela. As memórias ajudam-nos a continuar. Temos de reaprender a andar.

“Dentro de um espaço fictício onde tudo se mistura, algures no Alentejo, encontramos o coração de uma menina, de uma mulher, a quem foi tirada uma das suas bases. O pai.

“Encontramos assim num tempo confuso pós perda, pedaços ligados ou desfeitos ou refeitos de uma vida partilhada. O objetivo desta travessia será o de recolher lembranças para fechar a casa e seguir caminho. Mas como será construída tamanha viagem ?”.

   Para a estreia deste monólogo sobre o reflexo dessa morte por cancro foi feito este teaser :

wardill

Suscita ainda curiosidade a exibição que se fará nesta Quarta-feira 23 de Janeiro, pelas 21h30, no Espaço Nimas, por iniciativa da Galeria Kunsthalle Lissabon, de “Fulll Firearms”, a primeira longa-metragem de Emily Wardill (1977- ) (foto), uma artista visual e realizadora que vive e trabalha em Londres.

feature_Fulll_Firearms_e_wardill   Fulll Firearms narra a história de uma mulher que constrói uma casa para albergar os fantasmas das pessoas mortas pelas armas fabricadas pela companhia de armas do seu pai.   

   Baseado na vida de Sarah Winchester e na Winchester Mystery House, apresenta a história de Imelda, uma mulher assombrada pelas vitimas das armas vendidas pela empresa do seu pai. Imelda usa a sua herança para contratar um arquitecto que constrói a casa para esses fantasmas. Quando um grupo de pessoas ocupa a casa ainda em construção, Imelda convence-se que são já os fantasmas que ela esperava.

   Fulll Firearms é pois a história de uma casa construida especificamente para desorientar os seus habitantes.

   Eis o primeiro excerto da referida película de Emily Wardill Fulll Firearms :


 


Quanto a outras músicas nesta Quarta-feira 23 de Janeiro, enquanto no Hot Clube a partir das 22h30, Filipe Melo orienta a jam session pública habitual nas Quartas de Janeiro, à mesma hora (dez e meia) no Onda Jazz actuam os “So What”, um projecto cujo objectivo é divulgar o género Blues e todos os seus derivados.

   Integram-no Kátia Reis voz, Nuno Gonçalo  guitarra, Paleka  bateria e Nuno Carvalho  baixo, de quem vos mostramos “Crossfire”, uma actuação recente já em Janeiro de 2013 :

 

300px-MNAA   Por último, para os que seguem as actividades do Museu Nacional de Arte Antiga na comemoração do centenário do seu G.A.M.N.A.A., é a vez de Vasco Graça Moura fazer, às 18h30, a sua Conversa com… sobre «Os Painéis de São Vicente».

   A entrada é livre.

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Segunda aqui)

 

 

1 Comment

Leave a Reply