Pentacórdio para Segunda 28 de Janeiro

por Rui Oliveira

  

 

cuarteto casals 1   Na Segunda-feira 28 de Janeiro o destaque musical irá certamente para a 3ª sessão da “Integral dos Quartetos para Cordas de Schubert  (III)” que o Cuarteto Casals se comprometeu a executar entre nós (embora, segundo o programa, faça sobre ela um juizo crítico : «As integrais são uma espécie de indigestão. Têm um lado extremamente positivo para os intérpretes, pois permitem aprofundar a obra de um compositor. Consegue-se ver a evolução da linguagem e cada descoberta ganha o seu justo valor. Isto é muito interessante e enriquecedor. Mas, com o tempo, pode resultar extenuante. Por isso, devem ser construídas a pouco e pouco, alternando-as com obras de outros autores…»

   Então, às 19h no Grande Auditório, o Quarteto composto por Vera Martinez (violino), Abel Tomàs (violino), Jonathan Brown (viola) e Arnau Tomàs (violoncelo) irá tocar de Franz Schubert :

            Quarteto para Cordas nº 7, D. 94

            Quarteto para Cordas nº 5, D. 68

            Quarteto para Cordas nº 14, D. 810, A Morte e a Donzela

 

   Lembra-se, como aviso, que na véspera  27 de Janeiro (Domingo), às 17h30h, no Auditório 2, o Quarteto Casals apresenta uma conferência com o título “In Search of Schubert’s Musical DNA: Early Experiments/Late Masterworks”, onde a entrada é livre.

   E,como não encontrámos registo de audições deste Quarteto sobre Schubert, deixamo-vos com um vídeo do Quarteto nº 14 “A Morte e a Donzela” integral que, escrito quando doente em 1824 sobre um poema de Matthias Claudius, já pressagia o final luético que o esperava quatro anos depois :

 

 

 

evento_1_3_paule_grimaldip   Também neste dia, Segunda-feira 28 de Janeiro, ocorre na Sala dos Espelhos do Palácio Foz, às 18h e com entrada livre, um Recital de Canto e Piano dado por Manuel Pedro Nunes, barítono e pela pianista Paule Grimaldi, com um programa cujo pormenor é ainda desconhecido mas que deverá ser próximo do projecto “Viagem de Inverno” que o casal tem interpretado em recitais recentes.

   Tratar-se-á assim da abordagem do ciclo Winterreise (Viagem de Inverno), duas secções de doze canções cada, composto por Franz Schubert, a primeira em Fevereiro de 1827 e a segunda em Outubro do mesmo ano.

 

 

 

19333132_jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxxabi-molia-txikia   Ainda na Segunda-feira 28 de Janeiro, é exibido no Auditório do Institut Français de Portugal, às 19h, dentro do Ciclo “Grande Crise, Pequenos Remédios”, a película “8 Fois Debout” (França, 2010) do cineasta francês Xabi Molia (foto).

19414715_jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx   Sinopse : Elsa (Julie Gayet) vive de trabalho precário e luta desesperadamente para tentar obter um verdadeiro emprego, a fim de ter a custódia de seu filho. Mathieu (Denis Podalydès), seu vizinho, também não consegue encontrar um emprego. Embora ambos estejam numa situação cada vez pior, buscam sobreviver neste mundo que não é feito para eles… “Sept fois à terre, huit fois debout” (Caem sete vezes, levantam-se oito) ?

   É este o seu filme-anúncio :

 

 

museu do holocausto 

Conferencia_CEJ   No Campo das conferências/debate, seguramente a que despertará maior interesse público será a que a Fundação Aristides de Sousa Mendes (FASM) organiza no Centro de Estudos Judiciários (CEJ)(Largo do Limoeiro), nesta Segunda-feira, 28 de Janeiro, pelas 18.00 horas, para “Relembrar o Dia do Holocausto – 27 de Janeiro de 1945”, com entrada livre.

aristides sousa mendes   Nesta sessão comemorativa do Dia da Memória do Holocausto – consagrado internacionalmente a 27 de Janeiro por ter sido o dia em que as tropas Soviéticas libertaram o campo de exterminação Auschwitz-Birkenau descobrindo assim o maior campo de morte Nazi na Europa − haverá intervenções da historiadora Irene Pimentel, do Presidente da FASM, José Leitão, do Presidente da Comunidade Israelita de Lisboa, José Bensaude Oulman Carp, e do Director do CEJ, António Pedro Barbas Homem.

aristides sousa mendes visto concedido   Nos documentos divulgados sabe-se que haverá referência aos diversos diplomatas e outras personalidades que, de uma ou outra forma, contribuiram para minorar os efeitos daquela barbárie histórica e para denunciar os crimes do regime nazi, como Aristides de Sousa Mendes (1885-1954)(foto e visto concedido) cuja frase é mencionada “Era realmente meu objectivo «salvar toda aquela gente», cuja aflição era indescritível”, Sampaio Garrido e Teixeira Branquinho (diplomatas em Budapeste), Irene Sendler (assistente social no ghetto de Varsóvia), Raoul Wallenberg (diplomata sueco em Budapeste),  Chiune Sugihara (diplomata japonês na Lituânia), entre outros.

   (para mais dados históricos veja  http://irenepimentel.blogspot.pt/2012_01_24_archive.html )

 

 

phpThumb_generated_thumbnail   Outra conferência sobre temática de inegável actualidade (de entrada livre mas sujeita a inscrição prévia) é aquela que a Fundação Calouste Gulbenkian organiza conjuntamente com o Banco de Portugal e o Conselho de Finanças Públicas (CFP), intitulada “Para uma reforma abrangente da organização e gestão do sector público”, acompanhada dum Workshop desde esta Segunda 28 de Janeiro às 9h até Quarta-feira 30 de Janeiro às 17h, aquando do encerramento por Teodora Cardoso (CFP).

   Tem lugar no seu Auditório 2, encontrando-se o programa detalhado em http://www.gulbenkian.pt/index.php?object=483&article_id=4066langId=1 .

   Neste 1º dia haverá 3 sessões sucessivas, sendo as duas primeiras dedicadas à Reforma do sector público (aspectos conceptuais). Nelas ouvir-se-ão três palestras por :

 – Christopher Pollitt (Universidade de Lovaina): “What do we know about public management reform? Concepts, models and some approximate guidelines” (10h15 – 11h)

 – Giovanni Valotti (Universidade de Bocconi): “Reforming the public sector: How to make the difference” (11h30 – 13h)

 – Geert  Bouckaert (Universidade de Lovaina): “Performance measurement and budgeting in the public sector” (14h30 – 16h)

   Os seus comentadores serão Pedro Santos Guerreiro (Jornal de Negócios), António Correia de Campos (Parlamento Europeu), Francisco Sarsfield Cabral (Rádio Renascença) e Rui Nuno Baleiras (Conselho das Finanças Públicas e Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho).

   A 3ª sessão, porventura a mais interessante, abordará  As experiências bem-sucedidas de alguns países e será presidida por João Ferreira do Amaral (Instituto Superior de Economia e Gestão/UTL), sendo orador John Halligan (Universidade de Camberra) sobre “The experience of Australia” (16h30 – 18h). 

   Comentam-na  António Costa (Diário Económico) e Diogo de Lucena (Fundação Calouste Gulbenkian e Nova School of Business and Economics).

   Cada sessão encerrará, como é uso, com uma discussão geral.

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sábado aqui )

 

1 Comment

Leave a Reply