NO CENTENÁRIO DE FAURE DA ROSA

Imagem1

Assinalando o Centenário do Nascimento de Faure da Rosa, a Professora Maria Alzira Seixo fala-nos do percurso do escritor, da sua obra e significado na corrente literária do neorrealismo.- será no próximo sábado, 16 de Fevereiro, pelas 16 horas, no Auditório do Museu do Neo-Realismo.  

Imagem2

Nascido em Nova Goa (Índia), em 1912, José de Azevedo Faure da Rosa, iniciou a sua vida profissional como empregado de escritório e contabilista, em Lisboa. Fuga, o seu primeiro romance (1945) e Espelho da Vida (1955), refletem essa experiência. Combinando nos seus romances a crítica social e a análise psicológica, foi também tradutor e colaborador de jornais e revistas, como: O Diabo, Seara Nova, Jornal Ilustrado, Colóquio/Letras e Vértice.

Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Maria Alzira Seixo é detentora de uma vasta obra ensaística, reconhecida, aliás, em 2011, pela Universidade de Évora, que lhe atribuiu o Prémio Vergílio Ferreira, que visa distinguir o conjunto da obra de escritores portugueses relevantes no âmbito da narrativa e do ensaio.

Associando-se à iniciativa do Museu do neo-Realismo, o nosso blogue dedicará à figura e à obra de Faure da Rosa parte de uma das suas proximas edições.

Leave a Reply