Pentacórdio para Sábado, 30 de Março

por Rui Oliveira

 

540907_500045266718921_1561643038_n

   Fruto da época, não abundam os espectáculos neste Sábado, 30 deMarço mas, pelas suas características menos comuns tenderíamos a destacar como aconselhável o leitor dirigir-se às 19h ao Museu da Música (na estação do Metropolitano Altos Moínhos) para ouvir o concerto “Johannes Brahms” e “Fritz Kreisler”.

   Serão instrumentistas Helena Bivar ao piano e Bruno Sousa no violino. Trata-se de dois jovens intérpretes portugueses licenciados pela Escola Superior de Música de Lisboa.

heencARICHAS-   Helena Bivar Carichas iniciou os seus estudos com a pianista Savka Konjikusic, no Conservatório de Música D. Dinis e frequentou como ouvinte e intérprete masterclasses com Galina Eguiazarova, Sequeira Costa, Michael Uhde e Olga Prats. No âmbito da música de câmara, tem trabalhado em duo com a violoncelista Joana Correia e também com o violinista Bruno Sousa tendo-se apresentado em diversas salas nacionais, desde o Teatro São Luiz ou o Museu da Música até ao Teatro Municipal de Almada e a Casa-Museu Bissaya Barreto. Exerceu funções como docente de piano na Academia de Música do Monte Abraão entre 2008 e 2010 e na Academia de Amadores de Música entre 2009 e 2012. Actualmente é professora de piano e pianista acompanhadora no Conservatório de Música David de Sousa.

bruno santos   Já Bruno Sousa foi chefe de naipe dos segundos violinos e concertino auxiliar da orquestra Aproarte durante a sua participação, tendo acompanhado solistas de renome como Boris Belkin, Mickail Bezberni, Frank Preuss, Roberto Valdés. Em música de câmara, tem realizado master-classes com os professores Francisco Del Castillo, Gerardo Ribeiro, Aníbal Lima, Valentim Stefanov, Eliot Lawson, Francesca Vicari, Frank Preuss e Mickail Bezverkni. Trabalhou ainda com os maestros  Francesco Belli, Ernst Schelle, Cristobal Soler, Pedro Neves, Carlos Riazuelo e Christopher Bochmann. Terminou a licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa (na classe da Professora Alexandra Mendes) com 19 valores.

   O seu programa conjunto compreende de :

         Fritz Kreisler  “Liebeslied”

         Fritz Kreisler  “Schön Rosmarin”

         Johannes Brahms  Sonata para violino e piano nº1 em Sol Maior, op. 78,

                                             (I – Vivace ma non troppo,  II – Adagio,  III – Allegro molto moderato)

 

   Não havendo ainda registo destes jovens, deixamo-vos com uma interpretação antiga (já de 1985) integral da Sonata nº 1 de Brahms por dois músicos conhecidos, Itzhak Perlman (violino) e Vladimir Ashkenazy (piano)  Para comparar é possível recuar ainda mais no tempo para ouvir a mesma peça musical de Brahms tocada pelo certamente ainda mais conhecido (como God’s fiddler) violinista lituano Jascha Heifetz, acompanhado ao piano por Emanuel Bay aqui :

http://www.youtube.com/watch?v=NJyniDgygWY&feature=share&list=PLA1E548EEB75D48A3

 

 

 

 

 

61472_300   À Galeria Zé dos Bois (ZDB) vem neste Sábado, 30 de Março música para ouvidos jovens (ou muito experientes) pois ali se apresenta a norte-americana Holly Herndon que virá certamente mostrar ao público presente o seu álbum de estreia “Movement”, editado em Novembro último.

   Actualmente sediada em São Francisco (Califórnia), esta candidata a doutoramento em Música Electrónica na Universidade de Stanford e pupila no Mills College de John Bischoff, James Fei, Maggi Payne e Fred Frith ganhou o Elizabeth Mills Crothers Award para “Melhor Compositora” em 2010.

  Herndon cresceu rodeada do ensinamento clássico em redor de instrumentos como o piano ou a guitarra, até que uma ida para Berlim mudou definitivamente a forma como começou a observar, a sentir e a criar música. O computador, até então alheio à sua criação sonora, tornou-se o epicentro do seu trabalho e, aparentemente antagónicos, a composição clássica e o techno partilham uma orgânica próxima que abre diversas possibilidades à coabitação.ondness

   Daí que, segundo os críticos, «o seu trabalho musical explore a experiência incorporada nos meios electrónicos através de ensaios com a voz produzida electronicamente, usando técnicas vocais prolongadas, o processamento da voz e a síntese FM».

   Precedendo-a no show, Bruno Silva mostrará Ondness, uma música inspirada no pinhal de Leiria de onde é originária.

   Depois, partilhando o palco com uma vasta e luxuosa tropa onde se incluem Chris & Cosey, Nguzunguzu, Andy Stott ou Ignatz, a jovem Holly Herndon satisfará na ZDB o enorme entusiasmo e curiosidade que hoje em dia pendem sobre os seus passos futuros e que o leitor poderá já começar a desvendar neste vídeo do seu tema “Fade”.  Um vídeo também do álbum “Movement” mais sugestivo de música para um bailado pode ser (ou)visto aqui : http://youtu.be/kanNN4RPrgY

 

 

 

 

   Entretanto no Onda Jazz, às 22h30 do Sábado, 30 de Março, os habituais e consagrados acompanhantes Victor Zamora piano, Leo Espinosa contrabaixo e José Salgueiro bateria suportam a prestação da jóvem cantora portuense Mila Dores.Mila%20Dores - Copy

   Formada em Jazz e Música Clássica Indiana no Leeds College of Music (Inglaterra) em 2009, ganhou aí o prémio de “jovem músico de jazz” atribuído pelos promotores ingleses ‘Jazz Yokshire’. Faz actualmente o mestrado em jazz na Escola Superior de Música de Lisboa onde estuda com expoentes do jazz português como a vocalista Maria João e o trompetista João Moreira, entre outros.5060092194808

   Como intérprete, Mila é conhecida como versátil e engenhosa tornando temas conhecidos do jazz e do soul em canções muito próprias e originais.

   Do grupo que constituira com Sam Watts piano, Rus Pearson  contrabaixo e Joost Hendrickx percussão e que se chamava “Eh Joe” (que acabou de editar o álbum “Is Love the Word?”), mostramos-lhe o registo do tema “50 Ways to leave your Lover” e também aqui uma sua actuação anterior no mesmo “Onda Jazz”  cantando “Canário Verde” do mesmo CD : http://youtu.be/Cfsl3mg8K5k

 

 

 

 

   Por último, relembramos o que ontem noticiámos, que João Donato, pianista, compositor e arranjador de 78 anos, considerado um dos arquitectos da batida da Bossa Nova, sucede à sua habitual parceira de álbuns Paula Morelenbaum no palco do Espaço Brasil, na noite de Sábado, 30 de Março, às 22h30.JOAO-DONATO-por-Simone-Portellada-003-700x989

   Vem ao evento “Ano Brasil Portugal” inaugurar o seu novo projecto “Sotaques” e estará acompanhado pela sua banda formada por três dos maiores instrumentistas brasileiros : Robertinho Silva, na bateria, Luiz Alves, no contrabaixo e Ricardo Pontes no saxofone e na flauta.

   Lembra o Espaço Brasil que «o sotaque do seu piano e de seus arranjos está presente em boa parte da melhor produção musical brasileira nos últimos 50 anos, não só nos primórdios da “Bossa Nova”, mas depois passando pela “Tropicália”, pelo Pop, pelo Samba, pela MPB e muito mais do que se lhe seguiu.

   Idolatrado por músicos e intérpretes dos mais variados estilos e gerações, a começar por Tom Jobim que se dizia “seu discípulo”, João Donato é considerado inesgotável, vide o recente Carnaval de 2013, onde se apresentou, a convite do tradicional Cordão do Boitatá, empolgando  um público de 15 mil pessoas que enchia os Arcos da Lapa !

   É com exactamente a mesma formação com que vem ao Espaço Brasil que foi registado o tema “Samborelo” de João Donato e Carmen Costa em 2010 que lhe damos a ouvir :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quinta aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply