SAHARA – O MAIOR DESERTO QUENTE DO MUNDO. Por João Machado.

800px-Sahara
Na Argélia, perto de Tamanrasset. Fotografia Florence Devouard, 2004. WikipediaCommons

O Sahara é o maior deserto quente do mundo. Estende-se por mais de nove milhões de quilómetros quadrados. A Antárctida e o Árctico superam-no em extensão, mas são desertos frios. O Sahara forma uma cintura que atravessa toda a África do Norte, do Oceano Atlântico ao Mar Vermelho. Faz parte de doze países: Marrocos, Mauritânia, Argélia, Sahara Ocidental, Mali, Níger, Tunísia, Líbia, Egipto, Sudão, Chade e  Eritreia. A Sul é limitado pelo Sahel, uma cintura de savana subtropical (talvez fosse mais exacto classificá-lo como estepe) que também se estende do Senegal à Eritreia, portanto de costa a contracosta. A barreira geográfica mais importante a sul do Sahara é a bacia hidrográfica do Níger, e mais para oriente existe o Lago Chade, por sinal em vias de desaparição. A Norte a barreira geográfica mais importante é formada pela cadeia do Atlas. O Sahara chega até ao Mediterrâneo em pontos da Tunísia, da Líbia e do Egipto.

Emi Koussi - 942359
Vulcão Emi Koussi, no Norte do Chade. nl.wordpoi.info                                                     

A paisagem do Sahara não é de modo nenhum uniforme. Existem vários sistemas montanhosos, como o Hoggar, situado principalmente na Argélia, o Tibesti, no norte do Tchad, que inclui vários vulcões, como o Emi Koussi, na foto acima, o Toussidé, potencialmente activo, e outros, e as Montanhas Aïr, no Níger. Há grandes desertos de areia, onde se encontram as dunas maiores (algumas atingem os 180 metros de altura) que são designados por erg, e grandes desertos predominantemente rochosos, designados por hamada.

800px-Libya_4985_Tadrart_Acacus_Luca_Galuzzi_2007
Caminhando no deserto, no ocidente da Líbia. Obrigado ao Luca Galuzzi e à wikipedia

O Sahara não foi sempre um deserto. No fim da última idade glaciar começou uma época de chuvas abundantes, passando a predominar na região um clima semelhante ao das monções. Pensa-se que haveria superfícies de água de considerável extensão, que começaram a reduzir-se talvez a partir do quinto milénio AC, com as alterações climáticas ocorridas, que se traduziram na diminuição progressiva das chuvas e no aumento das amplitudes térmicas. As implicações na ocupação humana, na flora e na fauna foram enormes. As pesquisas arqueológicas e geológicas tem produzido abundantes vestígios muito significativos a este respeito.

227px-Sleeping_Antelope_Tin_Taghirt
Antílope dormindo. Vestígio rupestre encontrado no Tassili N’Ajjer, no sueste da Argélia. Linus Wolf Wikipedia Commons.
Obrigado aos responsáveis das fontes referidas. Pedimos compreensão por alguma falha havida.

Leave a Reply