Pentacórdio para Quarta-feira, 3 de Abril

por Rui Oliveira

 

 

 

 

   Por contraste, a agenda desta Quarta-feira, 3 de Abril é bastante carregada e, sem mais delongas, começaríamos por destacar o concerto do pianista Murray Perahia no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, às 21h.

Murray_Perahia 1   Nascido em Nova Iorque, iniciou os seus estudos de piano aos quatro anos de idade. Mais tarde, ingressou no Mannes College, diplomando-se em direcção de orquestra e composição. Os verões eram passados em Marlboro, onde colaborou com músicos como Rudolph Serkin, Pablo Casals e os músicos do Quarteto Budapeste. Por esta altura, estudou igualmente com Mieczyslaw Horszowski. Em 1972 venceu o “Concurso Internacional de Piano” de Leeds, recebendo numerosos convites para actuar em toda a Europa. No ano seguinte deu o seu primeiro concerto no Festival de Aldeburgh, onde conheceu e iniciou uma estreita colaboração com Benjamin Britten e Peter Pears, acompanhando este último em muitos recitais. Alguns anos mais tarde, estabeleceria uma grande amizade com Vladimir Horowitz, cuja perspectiva e personalidade o inspiraram de forma decisiva.

   Murray Perahia possuiu uma extensa e variada discografia, toda na Sony Classical. A gravação dos Estudos de Chopin, op. 10 e op. 25, fê-lo ganhar um Grammy em 2003 para “Melhor Interpretação Instrumental Solista”. Outros notáveis registos do seu extenso catálogo discográfico incluem integrais dos concertos para piano de Mozart, com a Orquestra de Câmara Inglesa, e dos concertos para piano de Beethoven, com a Orquestra do Concertgebouw e o maestro Bernard Haitink, bem como dos concertos para tecla de J. S. Bach, com a Academy of St. Martin in the Fields.

   O programa do concerto desta noite inclui :

 

      Joseph Haydn  Sonata em Ré maior, Hob.XVI:24

      Johann Sebastian Bach  Suite francesa nº 4, em Mi bemol maior, BWV 815

      Ludwig van Beethoven  Sonata nº 26, em Mi bemol maior, op. 81ª

      Franz Schubert  Momentos musicais, D. 780

      Fryderyk Chopin  Impromptu nº 2, em Fá sustenido maior, op. 36

                                      Scherzo nº 2, em Si bemol menor, op. 31

 

   Não havendo registo de nenhuma destas peças exactas, mostramos-lhe primeiro um Estudo op. 10, nº 4 de Chopin que evidencia bem a técnica pianística de Murray Perahia e em seguida a sua execução integral duma Suite Inglesa (e não francesa) nº 2 em Lá maior, BMW 807 de J.S.Bach :

 

   Para ouvir a peça do programa, a Suite francesa nº 4, em Mi bemol maior, BWV 815 de J.S.Bach (e ao mesmo tempo abandonar o preconceito de que os pianistas de jazz não sabem tocar…), ouçam esta interpretação de Keith Jarrett em  http://youtu.be/iwZZqI3X-k0

   Por fim, para gozo total, ouça-se o último concerto de Murray Perahia no Concertgebouw de Amsterdam em 2012 (1h 20’) com peças (diferentes deste programa!) de Beethoven, Chopin, Schumann e Schubert (agradecendo ao YouTube):

 

 

 

01-osmeussentimentos

   No palco do Grande Auditório da Culturgest estreia nesta Quarta-feira, 3 de Abril um espectáculo de teatro sui generis intitulado “Os Meus Sentimentos” de Dulce Cardoso (foto acima) cuja cenografia e interpretação cabem a Mónica Calle (foto ao lado).

mónica calle   É uma coprodução Casa Conveniente/ Culturgest com assistência de encenação de Mónica Garnel, fotografia de Bruno Simão e desenho de luz de José Álvaro Correia que se prolongará em palco até Sábado 6.

   Particularidade : O espectáculo de 5 horas começa às 19h30 e terá quatro intervalos que serão momentos de festa e encontro, onde o público poderá comer, beber e dançar (!).

   De que se trata, então ? Este espectáculo é o encontro, sem rede, de uma escritora que ainda não se tinha aproximado do teatro com uma actriz e encenadora que tem sido presença regular no programa da Culturgest. Mónica Calle tem ultimamente (re)trabalhado textos de Strindberg, Heiner Müller e Rimbaud. Romancista e contista, Dulce Maria Cardoso publicou, entre outros, Campo de Sangue, Os Meus Sentimentos e O Retorno.

   Deixamo-vos com uma citação do romance (na folha de sala), porventura representativa do tema da performance :

   “… É assim tão fácil largarmos tudo o que nos prende / Nenhuma manhã me vai roubar / Nunca mais nenhuma manhã, a minha vida um sobressalto no sono continuado do universo, fecho os olhos por um bocadinho, um sono tranquilo, aqui dentro, aqui onde estou, aconteça o que acontecer nada acontece / inesperadamente…”.

 

 

 

   Regressando à música dita erudita, há no ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão, ao Quelhas) nesta Quarta-feira, 3 de Abril, às 19h, no seu Auditório Caixa Geral de Depósitos, novo Concerto Antena 2, desta vez com o Dryads Duo, composto por Carla Santos, violino e Saul Picado, piano.dryads duo 1

   Criado em 2010 com o objetivo principal de abordar o repertório existente para este agrupamento desde os finais do século XIX até à actualidade, tendo a preocupação de apresentar obras menos conhecidas, mas não menos merecedoras de apreço público, o Dryads Duo veio a ganhar o 1º prémio na categoria de Música de Câmara (nível superior) ao participar na recente edição do “Prémio Jovens Músicos” (2011).

   O programa deste concerto abrange de :

 

      Ludwig van Beethoven   Sonata nº 4 em Lá menor, Op. 23

      Leoš Janáček   Sonata p/ violino e piano

      Maurice Ravel   Sonata Póstuma p/ violino e piano

      Ottorino Respighi   Sonata em Si menor

 

   É possível ouvi-los aqui na interpretação integral da terceira peça do programa :

 

 

 

 

   Quem for ao Grande Auditório do Centro Cultural de Belém, às 21h da Quarta-feira, 3 de Abril poderá festejar o aniversário do cantor Miguel Ângelo juntamente alguns dos seus convidados, o qual ali irá apresentar ao vivo o seu novo álbum “Primeiro” como ponto de partida de uma digressão nacional.miguel ângelo 1

   Estará acompanhado pelo seu grupo habitual Rui Fadigas (baixo e iPhone), Mário Andrade  (guitarra eléctrica), Rogério Correia (guitarra de 12 cordas), Samuel Palitos (bateria) e Dalila Marques (violino) e subirão também ao palco como convidados “Os Gospel Collective”, Miguel Urbano (acordeão) e Ângela Carneiro (violoncelo), além de Luis Raimundo (voz e guitarra), Tiago Guilul (voz) e O Martim (contrabaixo).

   Miguel Angelo, vocalista dos “Delfins” durante 25 anos, banda de que foi fundador, que integrou projectos como “Resistência” e “Movimento”, volta agora às canções com p.ex. “Precioso” (tema  integrante da banda sonora da telenovela Dancin’ Days) que aqui mostramos na apresentação do novo álbum, que a esta junta 12 outros temas :

 

 

 

 

LUIS-LOPES_-JLG   A galeria Zé dos Bois (ZDB) recebe, também na Quarta-feira 3 de Abril, às 22h, a dupla Jean-Luc Guionnet & Luís Lopes, disposta – segundo  ZDB – a reeditar, num «… reencontro sempre imprevisível da guitarra eléctrica de Luís Lopes com o saxofone alto de Jean-Luc Guionnet, … o glorioso encontro na Culturgest no ano passado. Sem que o vasto e distinto percurso dos dois músicos aponte numa mesma direcção, não deixa de existir um denominador comum nesse campo aberto e indefinível que é a improvisação. Luís Lopes não descura as suas raízes no rock e nos blues para as fazer chegar a lugares cada vez mais difusos e incertos, igualmente apto a transmutar a tradição jazzística (Humanization Quartet) e a entregar o corpo ao noise (como nos seus recentes concertos a solo). Guionnet tem flanado (…) por inúmeros projectos que vão do quase silêncio de projectos como Hubbub ao free jazz feérico dos The Fish, com o fantasma de Ayler por perto, mas encetando uma linguagem profundamente sua».

   É possível ouvir aqui Jean-Luc Guionnet (saxofone alto) actuando nos The Fish em 2009 : http://youtu.be/FnrUbNNd7Pg , bem como ter a noção do som da guitarra eléctrica de Luís Lopes com o seu álbum Lisbon Berlin Trio em 2011 aqui :

 

 

   A par deste duo, actuam na ZDB nessa noite os músicos Peixe guitarra eléctrica, Luis Vicente trompete,  Hugo Antunes contrabaixo e João Filipe bateria que se propõem entoar uma “Ode a William Burgess”.

 

 

ARISTIDES sousa mendes 

   Nesta Quarta-feira, 3 de Abril, pelas 17h,a Fundação Aristides Sousa Mendes em colaboração com o Museu da Música organizam no espaço do Museu da Música (Estação do Metropolitano Alto dos Moínhos) uma sessão de música e poesia evocativa daquele diplomata português que durante a II Guerra Mundial salvou mais de 30.000 vidas da perseguição nazi.

   Esta sessão incluirá um concerto do projecto Samasati em torno do seu álbum «Arrepios de Alma», além de um momento literário com a presença de Maria Barroso e Eugénio Lisboa, seguido de debate.

   Será ainda pretexto para a inauguração de uma pequena mostra evocativa de Aristides de Sousa Mendes e do lugar que as artes ocupavam na sua casa.

 

 

 

CARTAZ-FESTin2013_web   O FESTin (Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa)  regressa ao Cinema São Jorge, em Lisboa, entre esta Quarta-feira 3 de Abril e a Quarta 10 de Abril de 2013, para a sua quarta edição, a de 2013. Mantem os seus objectivos de «fomentar a interculturalidade, a inclusão social e o intercâmbio cultural nos países de língua portuguesa, através da realização de um Festival de Cinema comprometido com a divulgação de diferentes culturas e práticas de respeito pela diversidade presente nos povos de Língua Portuguesa».(vide http://festin-festival.com/)

   Entre as novidades na programação, destaca-se uma homenagem ao prestigiado Festival de Gramado (Brasil) que, entre diversos filmes premiados, traz a Lisboa a estreia do filme “Colegas”, protagonizado por três actores com Síndroma de Down, que está a ser um fenómeno de sucesso no Brasil; o cinema de Angola será também homenageado através de uma parceria com o o IACAM – Instituto Angolano de Cinema Audiovisual e Multimédia. Haverá ainda uma maratona de documentários, uma mostra dedicada ao público infanto-juvenil e o I Encontro Internacional de Jornalistas de Cinema, que reunirá pela primeira vez profissionais ligados ao jornalismo, crítica e divulgação cinematográfica num debate sobre o sector.

   Estas sessões vêm juntar-se ao programa habitual do FESTin, constituído por duas sessões competitivas (longas e curtas-metragens), a Mostra de Cinema Brasileiro (longas e curtas-metragens) e a Mostra de Inclusão Social, para além de oficinas de iniciação ao cinema para crianças e jovens e mesas redondas.

   Ao longo de uma semana serão exibidos 77 filmes, entre 24 longas e 53 curtas-metragens (ficção, documentário e animação), provenientes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, numa programação cujo pormenor poderá ser consultado em  http://festin-festival.com/?page_id=2787

Kilapy   Acrescentamos mais que na Sessão de Abertura, às 21h30 na Sala Manoel de Oliveira, concorrendo na Competição Longas-Metragens, será exibido com a presença do realizador o filme “O Grande Kilapy” (Angola/ Portugal/Brasil, 2012, 100 min, ficção) de Zezé Gamboa, cujos intérpretes principais são Lázaro Ramos, Pedro Hossi, João Lagarto, Patrícia Bull, Adriana Rabelo, Sílvia Rizzo, Hermila Guedes e São José Correia.

   Sinopse da acção : Joãozinho é um vigarista com uma profunda ética de amizade, bon vivant a todo o custo; é uma pessoa simples e que vive indiferente às contingências de vida numa colónia portuguesa. Por forças das circunstâncias Joãozinho acaba por se tornar uma personagem incómoda e subversiva para o regime colonial português…

   É este o filme-anúncio disponível :

 

 

 

553221_10151434473543393_312788046_n

   Por último, no campo das conferencias/debate, inicia-se na Sala Principal do Teatro Maria Matos um ciclo de seis palestras até Junho dedicado ao movimento da Transição e às ideias que o sustentam, visitando alguns dos temas centrais da sustentabilidade em áreas como a economia, os recursos naturais, o trabalho, a comida, o ambiente e o estilo de vida. Para encerrar o ciclo, Viriato Soromenho-Marques resumirá os desafios e as oportunidades, tendo em vista a situação em Portugal.

   Nesta Quarta-feira, 3 de Abril, às 18h30, com entrada livre (sujeita à lotação da sala) será a primeira conferência de Peter Tom Jones, presidente da organização sem fins lucrativos I-Cleantech Vlaanderen e gestor de investigação do Fundo de Investigação Industrial da Universidade de KU Leuven, que dissertará sobre “The transition to a low-carbon, circular economy” (A transição para uma economia hipo-carbónica circular), cabendo a moderação do debate a Paula Antunes.

   Como texto introdutório diz-se :

   “Com a população mundial e os níveis de consumo a crescer, o mundo enfrenta preços de energia instáveis, escassez de recursos e desafios ambientais sem precedentes. É necessário reduzir o uso de recursos naturais e as emissões de gases de efeito de estufa dos países industrializados em 90% nas próximas décadas. Nesta conferência, Peter Tom Jones apresenta estratégias da gestão da transição, concentrando-se numa alteração para uma economia hipocarbónica circular, assente em três vias: 1) tornando a produção e os produtos ecológicos, 2) deslocando a procura para categorias de consumo de baixo impacto e 3) diminuindo a procura de matérias-primas”.

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Segunda aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply