Pentacórdio para Quarta-feira, 10 de Abril

por Rui Oliveira

 

 

il trovatore 

il trovatore 1Rachele Stanisci   Nesta Quarta-feira, 10 de Abril, inicia-se no Teatro Nacional de São Carlos a celebração dos 200 anos do nascimento de Giuseppe Verdi através da apresentação até 11 de Maio duma Trilogia de Verdi, com as óperas” Il Trovatore”, “La Traviata” e “Rigoletto”, com direcção musical de Martin André, encenação de Francesco Esposito (o cenário acima é o da Metropolitan Opera de Janeiro último), desenho de luz de Fabio Rossi e a presença de um elenco de cantores solistas nacionais e internacionais, acompanhados pela Orquestra Sinfónica Portuguesa e pelo Coro do TNSC.

   A ópera “Il Trovatore” terá récitas a  10, 30 de Abril e 7 de Maio às 20h e a 14 de Abril às 16h.

Ivan_Momirov   Sob a direcção musical de Martin André, vão comparecer em palco para personificar as figuras do drama operático verdiano : Rachele Stanisci (soprano) como Leonora (foto superior), Agostina Smimmero (meio-soprano) como Azucena (foto inferior), Ivan Momirov (tenor) como Manrico(foto esq.), Valdis Jansons (barítono) como Il Conte  di Luna, Giovanni Furlanetto (baixo) como Ferrando, Joana Seara (soprano) como Inês, Nuno Cardoso (tenor) como Ruiz, Marco Alves dos Santos (tenor) como Un messo e João Rosa como Un zingaro.agostina smimmero

   O TNSC disponibilizou para conhecimento público os vídeos da construção e montagem de cenários e criação dos figurinos daquela Trilogia que, se o leitor tiver curiosidade, pode ver aqui : http://www.youtube.com/watch?v=sTVnNdWbu3s&feature=share&list=PLm30Ykz4DPDHrn5gU-G1ut0IhI3C7V6QX

   Já no campo canoro, o tenor Ivan Momirov (Manrico) interpreta, curiosamente no Teatro de São Carlos (!), um terceto desta ópera com Katia Pellegrino como Leonora e Alexandru Agache como Il Conte di Luna :

 

   A meio-soprano Agostina Smimmero exemplifica neste vídeo as diversas árias conhecidas de “Il Trovatore” numa récita em Junho de 2012 no Auditorium de Saragoça :

 

 

 

   Também na Quarta-feira, 10 de Abril há mais um Concerto Antena 2  na Fundação Portuguesa das Comunicações (à R. de São Paulo), às 19h, onde a cantora Joana Espadinha virá apresentar o seu álbum “Avesso”, apoiada nos músicos com que o gravou :  Júlio Resende no piano, João Firmino na guitarra, Francisco Brito no contrabaixo e Luís Candeias na bateria.Joana Espadinha a cantar

   Como a cantora explica no vídeo abaixo «… o “Avesso” é o interior de nós mesmos, com o qual nos confrontamos inevitavelmente. Um olhar sobre o “Avesso” é sempre uma descoberta, por vezes até ingénua, da poesia que temos em nós».

   Nas suas canções − um trabalho de canta-autor, algures entre o pop-rock e o jazz −, escritas maioritariamente em português, descobrem-se influências tão diversas como Sérgio Godinho, Chico Buarque, Radiohead, Ornatos Violeta, Jorge Palma, Sophia de Mello Breyner Andresen, entre tantos outros.

   Eis um seu vídeo de anúncio do CD “Avesso” registado ao vivo no Hot Cube de Portugal em Novembro de 2012 (como noticiámos no Pentacórdio na altura) :

 

 

 

E-FLYE~1

   O Teatro Meridional (Rua do Açúcar, nº 64, ao Poço do Bispo) acolhe nesta Quarta-feira, 10 de Abril, às 21h30 (ficando em palco até Domingo 14, às 16h), o espectáculo “Entre Laços” de Sofia Cabrita (também responsável pela encenação), uma produção da “Casear”(Criação de Documentos Teatrais) com cenografia e figurinos de Sara Franqueira e máscaras de Matteo Destro, em que a interpretação cabe a Ana Sofia Paiva e Mireia Scatti.

 entre laços  Sinopse : Duas personagens … vivem em espaços-habitáculos sem boca de cena, entre laços, linhas e o desejo de partilhar o tempo. Entre um chá com bolachas e a história de quem espera há demasiado tempo, até de uma casa sobrar apenas a vontade de abrir as portas. Quem entra é convidado a ficar e a criar laços feitos de perguntas e respostas, cantigas e silêncios.

  Explica a encenadora : «Este espectáculo não se apresenta em salas com a formação clássica de palco/plateia, sendo preferenciais espaços não convencionais (rua ou interior), salas-estúdio ou, ainda, usando só o palco. Trata-se de um espectáculo de máscaras com uma cenografia móvel que se propõe transformar o espaço que habita, porque estas personagens vivem fora do palco: nas praças, debaixo dos telheiros, dentro das salas.

   A proposta deste trabalho é reduzir a um mínimo a distância entre personagens mascaradas e público, procurando estabelecer um diálogo/jogo com quem assiste, num compromisso de intimidade em que duas personagens desconhecidas se tornam lentamente familiares».

 

 

         passos_perdidos     Oscar_Teatro_Faialense 

   Integrado no âmbito do Dia Mundial da Saúde, representa-se na Quarta-feira, 10 de Abril, OscarTeatroNacionalOscar e a senhora corderosana Sala dos Passos Perdidos do Palácio de São Bento (Assembleia da República), às 18h30, o monólogo “Óscar e a Senhora Cor-de-Rosa” da autoria de Eric-Emmanuel Schmitt, encenado por Marcia Haufrecht, com interpretação de Lídia Franco, que o tem representado um pouco por todo o país.

   A peça mostra a amizade entre uma criança com leucemia e a Senhora cor-de-rosa, uma voluntária do hospital. Entre os dois personagens estabelece-se um jogo: cada dia equivale a dez anos e assim o menino tem a sensação de que avança no tempo e aproveita a vida nas suas diferentes idades. Morre com 100 anos, ou seja, passado poucos dias, com uma vida plena de emoções e alegrias …

 

 

ColoquioGarciaOrta 

   Com início na Quarta-feira, 10 de Abril (e conclusão a 11, Quinta), a Sala 1 da Fundação Gulbenkian recebe a conferência internacional “O Mundo num Livro”, a propósito da celebração dos 450 anos dos Colóquios dos simples e drogas da Índia de Garcia de Orta. Escrito em Goa pelo pioneiro da medicina tropical, esta obra notabilizou-se pela forma como contrariou alguns dogmas da medicina de então e também pelo comentário que faz da sociedade goesa.COLQUI~1 A sua influência atravessou os séculos até aos dias de hoje.verybig_1358269177_9690_28394-garcia-da-orta    Promovida pela Fundação Gulbenkian, em colaboração com a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, esta conferência de entrada livre (desde ás 9h30 às 18h) contará com a presença de especialistas das várias áreas que os Colóquios abrangem.

   Inicia-se com a leitura dramatizada dos poemas “Aquele único exemplo” de Luís de Camões e “Do autor falando com o seu livro” de Garcia de Orta (Colóquios, 1563) por Christopher Auretta e Palmira Fontes da Costa.

   Após o seu encerramento – já na Quinta-feira pelas 18h − terá lugar a estreia da peça de teatro “Garcia de Orta, o Sábio Prático” pelo grupo “A Barraca”, numa concepção e encenação de Helder Costa. (consultar o programa em: www.gulbenkian.pt/index.php?object=483&article_id=4133 )

 

 

 

599061_493504670711398_563128008_n

broder   Por último, lembramos que se encerra nesta Quarta-feira, 10 de Abril (como anunciámos anteriormente) o FESTin (Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa) que vinha decorrendo no Cinema São Jorge, em Lisboa, desde a anterior Quarta-feira 3 de Abril.FICO-_~1

   Nesta última sessão fechar-se-á a  homenagem ao Festival de Cinema de Gramado brasileiro, em que o público pôde assistir, entre outros, a um conjunto de filmes premiados na 40ª edição desse festival, que decorreu em 2012. Serão exibidos 2 longas-metragens.

   A última longa-metragem que o encerra exibe-se na Sala Manoel de Oliveira, às 21h30, e denomina-se “Bróder” (Brasil, 2010, 93 minutos, ficção) do realizador Jeferson De (foto), com Caio Blat, Jonathan Haagensen, Silvio Guindane, Cássia Kiss e Zezé Mota nos principais papéis.

 broder500  Sinopse : Macu, Jaiminho e Pibe são três amigos de infância que nasceram e cresceram na comunidade do Capão Redondo, na periferia de São Paulo. Muitos anos depois, Macu ainda mora no Capão e está envolvido com o crime. Craque de futebol que joga na Europa, Jaiminho visita os amigos e aguarda a convocação para a Copa. Pibe, que se mudou para outro bairro, é um pai de família sem muitas perspectivas na vida. No aniversário de Macu, reencontram-se por apenas um dia, para reafirmar a sua amizade e brigar pelas suas diferenças. Apesar do amor e da amizade que os une, a vida fará cada um seguir o seu destino.

   É este o seu filme-anúncio :

 

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Segunda aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply