MANIFESTO: PRECARIEDADE NÃO, DESEMPREGO NÃO, EXILÍO NÃO: TROIKA RUA, GOVERNO DEMISSÃO!

blog_destaqueCartaz
Todos os dias são nos impostas novas medidas de austeridade que agravam as desigualdades, a injustiça e que empurram o país para um beco sem saída. Todos os dias conhecemos novas pessoas desempregadas, novos casos de pobreza, novos casos de insolvência, de empresas e de famílias. Todos os dias, vemos familiares e amigos-as partirem e todos os dias resistimos para o nosso caminho também ele não passar pela emigração forçada.
Diariamente, somos confrontados-as com inúmeras situações de exploração e/ou de precariedade laboral: falsos recibos verdes, contratos a prazo, trabalho temporário, trabalho em situação irregular, trabalho mal pago, estágios não remunerados, bolsas de investigação a repetição. A divisão sexual do trabalho, a desigualdade salarial, a dupla e tripla discriminação acentuam-se . Muitas pessoas, como as-os trabalhadores-as domésticas ou trabalhadores-as sexuais, são empurradas para a economia informal, espaço de exploração, de negação de direitos laborais e sociais.
Da educação, à saúde, passando pela cultura e pelos mais variados sectores da nossa economia, o desemprego ou a precariedade pairam hoje sobre a grande maioria da população. Em prol de alguns. De quem especula e lucra com esta crise. De quem nos diz que aguentamos. De quem nos diz que o futuro está nos nossos baixos salários. De quem nos diz que a precariedade impede o aumento do desemprego – quando sabemos que ambos aumentaram. De quem coloca as nossas vidas a prazo e ainda afirma que tal é uma“oportunidade”.
Vivemos num país ocupado por uma troika que tudo destrói, por um governo ilegítimo que governa contra os interesses da maior parte da população, pela ganância de alguns, pela falta de coragem de outros. Querem que a insegurança, a incerteza e o medo comandem as nossas vidas. Mas não vamos deixar. Juntos-as conseguimos inverter este rumo e afirmar alternativas não só possíveis como necessárias e urgentes!
O MayDay nasceu em Milão em 2001 e espalhou-se por várias cidades da Europa e do Mundo. Em 2007, decorreu, pela primeira vez, o MayDay em Lisboa, com uma manifestação que juntou um grito de revolta contra a precariedade aos protestos do Dia dos-as Trabalhadores-as. Este ano, mais do que nunca, queremos que este seja o dia em que todas as pessoas que recusam o caminho desastroso para o qual nos estão a levar se juntem.
Preparamos e convocamos esta mobilização de forma assembleária, através de reuniões semanais. Somos um grupo aberto que quer discutir, mas que sobretudo quer agir e enfrentar a situação actual. Traz a tua indignação, a tua força, a tua proposta, aparece nas assembleias do MayDay, para sairmos à rua, em conjunto e em força, no dia 1 de Maio. MAY DAY, MAY DAY!

Leave a Reply