Pentacórdio para Segunda-feira, 6 de Maio

por Rui Oliveira

 

 

 

   A ausência de outras novidades musicais ou teatrais faz com que centremos a atenção neste dia quase só sobre a 7ª Arte.

 

Cycle%20Comedies%20Francaises%20PT

   Assim, no Institut Français de Portugal começa nesta Segunda-feira, 6 de Maio o seu novo Ciclo de Cinema “Comédias Francesas” que durará semanalmente até 24 de Junho, sempre às 19h.

dernier étage 3_superbanner   “Dernier étage, gauche, gauche” (França, 2009, 93′) de Angelo Cianci será o filme de abertura, com Hippolyte Girardot (François Echevarria), Fellag (Mohand Atelhadj), Aymen Saïdi (Salem Atelhadj) e Judith Henry (Anna Echeverria) nos principais papéis.

   Sinopse do filme :

dernier-etage-440   «Não deveria ter-se passado assim… Como todas as manhãs, François Echeveria – oficial de diligências – deveria ter podido fazer a sua penhora do dia e regressado tranquilamente ao doce lar. Mas, nesse dia de aniversário do 11 de Setembro, o destino troca-lhe as voltas e sai-lhe ao caminho um pai arruinado, com um filho em grande agitação … que o fazem refém. Três homens encurralados num sétimo andar de um prédio de habitação social, rapidamente cercados por agentes do GIGN que os tomam por terroristas. Três homens que se confrontam no interior de um apartamento mas que estão condenados a se entender a breve prazo. Três homens que transformam este barril de pólvora… numa comédia humana absurda».

   É este o seu filme-anúncio :

  

 

 

Shoah_1

   Ainda no cinema, a Cinemateca Nacional propõe entre esta Segunda-feira 6 de Maio e o próximo Sábado 11, a partir da projeção de dez filmes realizados entre 1943 e 2010, um programa que reflecte sobre o Holocausto numa série de sessões intituladas “Noite e Nevoeiro”, e que será comentado por escritores, ensaístas, historiadores, políticos, professores e realizadores.

   O Ciclo é organizado em colaboração com a Fundação Luso-Americana, na sequência da conferência internacional “Portugal e o Holocausto – Aprender com o Passado, Ensinar para o Futuro”, uma iniciativa da FLAD, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Embaixada dos Estados Unidos em Portugal, realizada em Outubro de 2012 na Gulbenkian.

   «Intitulado a partir do fundamental filme de Alain Resnais de 1956, o programa reúne títulos directamente centrados no Holocausto e nas suas consequências, mas também obras (como os filmes de Lang e Renoir) que, sendo contemporâneas da Segunda Guerra e anteriores à real descoberta do enormidade do que se passava, do Holocausto fazem retinir como que um pressentimento, no mesmo passo em que fazem da Resistência um imperativo. Estes dez filmes não esgotam o tema; mas na sua diversidade como conjunto, e na importância específica de cada título, compõem uma amostra significativa da essencial contribuição do cinema para um trabalho de memória sobre, citando Cozarinsky, “o grande horror do século XX”».

   Pode consultar-se a programação completa em :

 http://www.cinemateca.pt/CinematecaSite/media/Documentos/noite_e_nevoeiro.pdf

   A título de exemplo, saiba-se que nesta Segunda-feira, dia de abertura, se exibem :

 

   Às 19h, na Sala Dr. Félix Ribeiro, “Majdanek – Cementarzisko Europey” (Polónia, 1945) de Aleksandr Ford, com Ida Benita, Jerzy Pichelski, Stanislawa Wysocka nos papéis centrais.

   E ainda “A Última Etapa” (Polónia, 1947) de Wanda Jakubowska, com Barbara Drapinska, Alexandra Slaska, Tatjana Gorecka nos papéis principais. (apresentado por Nuno Júdice)

   “Majdanek”, realizado em Julho de 1944, é um dos primeiros documentários realizados num campo de extermínio, onde Ford entrevista sobreviventes de diversas nacionalidades. Quanto à “A Última Etapa”,  reconstitui a experiência da realizadora no campo de extermínio de Auschwitz, a cujos horrores sobreviveu e onde parte do filme foi feito. Mais do que um filme sobre o extermínio dos judeus pelos nazis, trata-se de um filme sobre a capacidade de resistência física e moral, numa situação limite da condição humana.

   Este é um excerto da “Última Etapa” :

 

 

   Às 21h30, na mesma sala, é projectado “Pasaserka” (Polónia, 1961) de Andrzej Munk com Aleksandra Slaska e Anna Ciepielewska nos papéis centrais, sendo a pasaserka3projecção seguida de debate com Mário de Carvalho e Rui Cardoso Martins.

   O último filme de Andrzej Munk foi deixado incompleto devido à sua morte prematura num acidente, e concluído por Witold Lesiewicz : num navio, uma mulher que fora guarda no campo de concentração de Auschwitz pensa reconhecer numa passageira uma antiga prisioneira do campo. O seu passado ressurge e ela tenta justificar-se perante si mesma.

   «O filme é uma dura reflexão sobre a relação entre carrascos e vítimas e sobre as mentiras da memória. Para muitos, a grande obra-prima do cinema polaco (diz a Cinemateca)».

   Eis igualmente um seu trecho significativo :

 

 

 

 

 (para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sábado aqui)

 

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply