RETRATOS, IMAGENS, SÍNTESE DOS EFEITOS DA CRISE DA ZONA EURO SOBRE CADA PAÍS

Selecção, tradução e nota introdutória por Júlio Marques Mota

Nota introdutória

Primeiro retrato não de um país mas de um continente, tirada a partir de uma lente especial, o desemprego que destrói este continente: a Europa, a Europa traída pelas suas elites.

Júlio Marques Mota

xxxxxxxxxx

Novo recorde histórico de desemprego na zona euro: 12,1 % em Março de 2013

François Asselineau

Texto disponibilizado por Philippe Murer, Membre du bureau du Forum Démocratique,
Président de l’association Manifeste pour un Débat sur le libre échange

record - I

De acordo com os números oficiais (e, portanto, manipulados à baixa ) publicados este terça-feira, 30 de Abril de 2013, pelo Instituto Europeu de Estatísticas, Eurostat, o desemprego ainda subiu mais em toda a zona euro, atingindo um novo recorde de 19,2 milhões, ou seja de 12,1% da população activa da área.

O desemprego, que voa de recorde em recorde na Europa, está no seu  23ª  mês consecutivo em alta na zona euro , onde 62 000 pessoas adicionais vieram agora  aumentar as fileiras dos desempregados num só  mês.

Em toda a União Europeia, o desemprego atinge  26,5 milhões de pessoas ou seja uma taxa de 10,9% e de 69 000 candidatos adicionais a um  emprego em relação a Fevereiro.

UMA  PROGRESSÃO  ESPETACULAR E CONVINCENTE EM TODA A ÁREA DO EURO

O  agravamento do desemprego é tão espectacular como  irresistível em toda a Europa, mas muito mais acentuada na zona  euro.  Num só  ano (a partir de Março de 2012 para Março de 2013), a taxa de desemprego aumentou de 11,0% para 12,1% na zona euro (ou seja, + 1,1 ponto), mas de 10,3% para 10,9% em toda a UE (+ 0,6 ponto).

É ainda na Grécia, que a taxa é mais alta, e esta ainda continua a crescer: esta alcançou o valor de  27,2%, de acordo com os dados mais recentes disponíveis a partir de Janeiro, contra 26,4% em Dezembro.

A taxa  espanhola sobe também e está  perigosamente próxima  da  taxa existente na  Grécia: foi de 26,7% em Março, comparados com 26,3% no mês anterior.

Na França, a taxa oficial de desemprego subiu para 11,0%, contra 10,8% um mês antes, enquanto que se manteve   estável na Alemanha em 5,4%.

A taxa de desemprego entre os jovens aumentou para 24% na zona euro  em Março. Foi 59,1% na Grécia (de acordo com os dados de Janeiro) e de 55,9% em Espanha, mas também de 38,4% na Itália e de 38,3% em Portugal.

record - II

(continua)

Leave a Reply