Posts Tagged: júlio marques mota

A ALEMANHA, O SEU PAPEL NOS DESEQUILÍBRIOS DA ECONOMIA REAL. O OUTRO LADO DA CRISE DE QUE NÃO SE FALA. UMA ANÁLISE ASSENTE NA DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO [1] – Uma coleção de artigos de Onubre Einz. I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 2).

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 2), por Onubre Einz Publicado por crieusa.blog.lemonde, em 11 de abril de 2013 Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

A ALEMANHA, O SEU PAPEL NOS DESEQUILÍBRIOS DA ECONOMIA REAL. O OUTRO LADO DA CRISE DE QUE NÃO SE FALA. UMA ANÁLISE ASSENTE NA DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO [1] – Uma coleção de artigos de Onubre Einz. I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 2).

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 2), por Onubre Einz Publicado por crieusa.blog.lemonde, em 11 de abril de 2013 Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

A ALEMANHA, O SEU PAPEL NOS DESEQUILÍBRIOS DA ECONOMIA REAL. O OUTRO LADO DA CRISE DE QUE NÃO SE FALA. UMA ANÁLISE ASSENTE NA DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO [1] – Uma coleção de artigos de Onubre Einz. I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 1).

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 1), por Onubre Einz Publicado por crieusa.blog.lemonde, em 11 de abril de 2013   Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos

A ALEMANHA, O SEU PAPEL NOS DESEQUILÍBRIOS DA ECONOMIA REAL. O OUTRO LADO DA CRISE DE QUE NÃO SE FALA. UMA ANÁLISE ASSENTE NA DIVISÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO [1] – Uma coleção de artigos de Onubre Einz. I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 1).

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota I – A Alemanha: Contas externas e financeirização por procuração (parte 1), por Onubre Einz Publicado por crieusa.blog.lemonde, em 11 de abril de 2013   Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 6). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 6). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 6). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 6). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 5). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 5). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 5). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 5). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 4). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 4). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 4). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 4). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 3). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 3). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 3). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 3). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado na Viagem dos Argonautas

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 2). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 2). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado em 24 de fevereiro

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 2). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 2). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado em 24 de fevereiro

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 1). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 1). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado em 23 de fevereiro

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 1). Por Michael Pettis

Syriza e a indemnização da guerra da França com a Prússia em 1871-73  (parte 1). Por Michael Pettis, 4 de fevereiro de 2015   Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Reedição revista do artigo publicado em 23 de fevereiro

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – A propósito de um texto de Michael Pettis sobre Syriza, sobre a Alemanha (parte 2). Por Júlio Marques Mota

A propósito de um texto de Michael Pettis sobre Syriza, sobre a Alemanha (parte 2). Por Júlio Marques Mota  Reedição revista do artigo publicado em 22 de fevereiro de 2015 (https://aviagemdosargonautas.net/2015/02/22/entre-a-forca-assassina-de-um-golias-a-alemanha-e-a-rectidao-moral-de-um-david-a-grecia-de-syriza-a-proposito-de-um-texto-de-michael-pettis-sobre-o-syriza-sobre-a-alemanha-por/) (conclusão) Da mesma opinião parece comungar Michael Pettis quando

Entre a força assassina de um Golias (a Alemanha) e a rectidão moral de um David (a Grécia de Syriza)… – A propósito de um texto de Michael Pettis sobre Syriza, sobre a Alemanha (parte 1). Por Júlio Marques Mota

A propósito de um texto de Michael Pettis sobre Syriza, sobre a Alemanha (parte 1). Por Júlio Marques Mota  Reedição revista do artigo publicado em 21 de fevereiro de 2015 (https://aviagemdosargonautas.net/2015/02/21/entre-a-forca-assassina-de-um-golias-a-alemanha-e-a-rectidao-moral-de-um-david-a-grecia-de-syriza-a-proposito-de-um-texto-de-michael-pettis-sobre-o-syriza-sobre-a-alemanha-por-julio-marques/) Carta de Júlio Marques Mota de 21 de fevereiro

O Euro, a Alemanha e Espanha – Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis (parte 2)

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis, em 18 de agosto de 2014 Este artigo, publicado por El País Blogs, 25 de agosto de 2014, com introdução e

O Euro, a Alemanha e Espanha – Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis (parte 2)

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis, em 18 de agosto de 2014 Este artigo, publicado por El País Blogs, 25 de agosto de 2014, com introdução e

O Euro, a Alemanha e Espanha – Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis (parte 1)

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis, em 18 de agosto de 2014 Este artigo, publicado por El País Blogs, 25 de agosto de 2014, com introdução e

O Euro, a Alemanha e Espanha – Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis (parte 1)

Seleção de Júlio Marques Mota e tradução de Francisco Tavares Poderá Pedro Sánchez salvar o PSOE? Por Michael Pettis, em 18 de agosto de 2014 Este artigo, publicado por El País Blogs, 25 de agosto de 2014, com introdução e

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF. II Emmanuel Macron pensa que ” nos falta um rei em França” : uma enorme regressão ideológica

(Francis Métivier, filósofo)

Rousseau, tinha no seu “Contrato Social”, uma bela fórmula: “uma nação e o seu líder” Primeiro as pessoas, o povo, depois o líder. Mas Macron, numa enorme regressão ideológica, inverte a hierarquia, primeiro o líder, depois o seu povo.

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF. II Emmanuel Macron pensa que ” nos falta um rei em França” : uma enorme regressão ideológica

(Francis Métivier, filósofo)

Rousseau, tinha no seu “Contrato Social”, uma bela fórmula: “uma nação e o seu líder” Primeiro as pessoas, o povo, depois o líder. Mas Macron, numa enorme regressão ideológica, inverte a hierarquia, primeiro o líder, depois o seu povo.

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF. I – Macron no Congresso, o rei no seu Parlamento

(Laurent Joffrin, Directeur de edição no jornal Libération — 26 Junho de 2017)

Noutros tempos, ter-se-ia gritado à cacofonia. Mas desta fez estamos perante uma forma de imunidade macroniana. Os defensores da democracia parlamentar e participativa devem refletir sobre este paradoxo: toda a gente pede um governo cada vez mais aberto e representativo; mas os mesmos consideram o poder não pelos seus métodos mais ou menos democráticos, mas sim pelos seus resultados.

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF. I – Macron no Congresso, o rei no seu Parlamento

(Laurent Joffrin, Directeur de edição no jornal Libération — 26 Junho de 2017)

Noutros tempos, ter-se-ia gritado à cacofonia. Mas desta fez estamos perante uma forma de imunidade macroniana. Os defensores da democracia parlamentar e participativa devem refletir sobre este paradoxo: toda a gente pede um governo cada vez mais aberto e representativo; mas os mesmos consideram o poder não pelos seus métodos mais ou menos democráticos, mas sim pelos seus resultados.

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF – Introdução, Parte III

Júlio Marques Mota

Mas no caso de Macron não se trata verdadeiramente de coragem, trata-se de ser coerente consigo mesmo. O poder foi-lhe dado para cumprir o dito memorando não assinado, de resto por Macron bem desejado. É esta a coerência a que me refiro. Os textos sobre o reforço da lei El Khomri aí estão a prová-lo claramente. E é neste homem que os meus amigos me aconselhavam a votar!

Autópsia de uma morte já anunciada, a do PSF – Introdução, Parte III

Júlio Marques Mota

Mas no caso de Macron não se trata verdadeiramente de coragem, trata-se de ser coerente consigo mesmo. O poder foi-lhe dado para cumprir o dito memorando não assinado, de resto por Macron bem desejado. É esta a coerência a que me refiro. Os textos sobre o reforço da lei El Khomri aí estão a prová-lo claramente. E é neste homem que os meus amigos me aconselhavam a votar!