17 de Maio é o Dia das Letras Galegas. É hoje!

peninsula_sempre-galiza

17 de Maio é o Dia das Letras Galegas. É hoje!

Ler galego é ler português.

que além Minho estão,

os bons filhos do Luso,

apartados

irmãos

nossos por um destino

invejoso e fatal.

Com os

robustos acentos,

grandes os chamarás,

verbo do grã

Camões

fala de Breogã!

(Eduardo Pondal)

 

O Dia das Letras Galegas começou a ser celebrado em 1963.

Desde então, o dia 17 de Maio é dedicado à língua e à literatura galegas.

A primeira data foi escolhida de modo a coincidir com a comemoração do centenário da primeira edição de Cantares Galegos, de Rosalía de Castro.

Anualmente, a Galiza passou, assim, a homenagear um autor.

Para poder ser considerado há que reunir três condições cumulativamente: ter uma obra literária relevante escrita em galego; ter falecido há dez ou mais anos; e, ser indigitado por, pelo menos, três membros da Real Academia Galega.

Desde 1963,  o Dia das Letras Galegas foi dedicado a:

  • 1963 Rosalia de Castro
  • 1964 Alfonso Daniel Rodríguez Castelao
  • 1965 Eduardo Pondal
  • 1966 Francisco Añón Paz
  • 1967 Manuel Curros Enríquez
  • 1968 Florentino López Cuevillas
  • 1969 Antonio Noriega Varela
  • 1970 Marcial Valladares Nuñez
  • 1971 Gonzalo López Abente
  • 1972 Valentín Lamas Carvajal
  • 1973 Manoel Lago González
  • 1974 Xoán V. Viqueira Cortón
  • 1975 Xoán Manuel Pintos Villar
  • 1976 Ramón Cabanillas
  • 1977 Antón Vilar Ponte
  • 1978 Antonio López Ferreiro
  • 1979 Manuel Antonio
  • 1980 Afonso X de Leão e Castela, O Sábio
  • 1981 Vicente Risco
  • 1982 Luís Amado Carballo
  • 1983 Manuel Leiras Pulpeiro
  • 1984 Armando Cotarelo Valledor
  • 1985 Antón Losada Diéguez
  • 1986 Aquilino Iglesia Alvariño
  • 1987 Francisca Herrera Garrido
  • 1988 Ramón Otero Pedrayo
  • 1989 Celso Emilio Ferreiro
  • 1990 Luis Pimentel
  • 1991 Álvaro Cunqueiro
  • 1992 Fermín Bouza-Brey
  • 1993 Eduardo Blanco Amor
  • 1994 Luís Seoane
  • 1995 Rafael Dieste
  • 1996 Xesús Ferro Couselo
  • 1997 Ánxel Fole
  • 1998 Martim Codax, Joham de Cangas e Meendinho (em conjunto, autores de diversas cantigas medievais)
  • 1999 Roberto Blanco Torres
  • 2000 Manuel Murguía
  • 2001 Eladio Rodríguez
  • 2002 Frei Martín Sarmiento
  • 2003 Antón Avilés de Taramancos
  • 2004 Xaquín Lorenzo Fernández
  • 2005 Lorenzo Varela
  • 2006 Manuel Lugrís Freire
  • 2007 María Mariño Carou
  • 2008 Xosé María Álvarez Blázquez
  • 2009 Ramón Piñeiro López
  • 2010 Uxío Novoneyra
  • 2011 Lois Pereiro
  • 2012 Valentim Paz-Andrade
  • 2013 Roberto Vidal Bolanho

2 Comments

  1. Seria bom reintegrar também os nomes.
    Para nós é muito importante não esquecermos que o Ç, o LH, o NH, o J, o Ã, o Ê também são letras galegas.
    Muito bom post, Pedro.

Leave a Reply