Pentacórdio para Quinta-feira, 27 de Junho

por Rui Oliveira

 

 

   De entre as actividades de algum relevo nesta Quinta-feira, começaríamos pelo AUREA_nunofontinha_9219Centro Cultural de Belém (CCB) onde, no seu Grande Auditório, às 21h, a cantora portuguesa Aurea “inicia uma nova etapa do seu percurso, apresentando nos palcos nacionais e internacionais um novo espectáculo, que contará com alinhamento, cenário e energia renovados, … cheio de “Soul Notes”, o seu álbum recém-editado.

aurea_soul-notes   Seguindo a linha de composição do primeiro trabalho, que atingiu a marca de dupla platina, Soul Notes é exclusivamente constituído por temas originais, canções intemporais … reflexo de episódios, vivências e emoções que inspiraram Áurea …”.

  Na primeira parte actuará Ana Stiwell que acabou de editar “Take my Coat”.

   Mostramos-lhe aqui de Áurea o tema “Scratch my Back” do último CD Soul Notes :

 

 

 

 

zoo de victor hugo pontes

   Por seu turno, na Sala Principal do Maria Matos Teatro Municipal, às 21h30, estreia a nova criação coreográfica de Victor Hugo Pontes intitulada “ZOO”, após estreia no Teatro São João (Porto) na passada Quinta 20, a qual permanecerá apenas até Sexta 28.zoo 2

   Depois de “A Ballet Story“, que os jornais consideraram “o melhor espectáculo de dança de 2012” (e de que pode ver-se um excerto aqui ), surgem, a partir do livro “Why Look at Animals?” de John Berger, os pares, ora dicotómicos, ora complementares sobre os quais se estrutura este novo trabalho : homem e animal, observador e observado, público e cena.

   Da natureza para as sociedades humanas e para o teatro: é este o fio condutor de “ZOO”zoo 3 

    Diz Inês Nadais (in Ípsilon) : «Numa savana de contraplacado, sete animais de palco (animais como nós) deixam-se observar pelos turistas acidentais da plateia – mas o contrário também pode ser verdade.” Zoo”, de Victor Hugo Pontes, reabilita o instinto como sistema operativo da nossa humana animalidade».

   Com cenografia de F.Ribeiro e música original de Rui Lima e Sérgio Martins, interpretam-no Marco Ferreira e Valter fernandes, entre outros.

 

 

 

   Também nesta Quinta-feira, 27 de Junho, tem lugar um Recital de Guitarra na Sala dos Espelhos do Palácio Foz, às 18h30 e de entrada livre, onde o cantautor de música folclórica argentino César Isella, uma das figuras do Movimento do Novo Cancioneiro e autor de “Canción con todos”, considerada por muitos o hino da América Latina, tocará música tradicional da Argentina, sendo o recital uma iniciativa da Embaixada deste país.cesar isella

   Desconhece-se o seu programa preciso mas, dado este companheiro deTejada Gómez, Mercedes Sosa e Oscar Matus prestar no dia seguinte (28/6) na Casa da América Latina (às 19h) um tributo aos compositores argentinos faz prever que o alinhamento seja idêntico, a saber :

   1 – Vidala para mi sombra (Julio Espinosa) / 2 – El Amor te dejo (candombito; Teresa Parodi e César Isella) / 3 – La Volvedora (zamba; Eduardo Falu e Manuel J. Castilla) / 4 – Canción de las simples cosas (Tejada Gómez e César Isella) / 5 – Augusto (cueca; César Isella) / 6 – Padre del Carnaval (zamba; Horacio Guarany e César Isella) / 6 – La arenosa (cueca; Gustavo ‘Cuchy’ Leguizamon e Manuel J. Castilla) / 7 – Tonada del viejo amor (Eduardo Falu e Jaime Davalos) / 8 – Balderrama (zamba; Manuel J. Castilla e Gustavo ‘Cuchy’ Leguizamon) / 9  – Noticia para viajeros (canção; Julio Cortázar e César Isella) / 10 – La niña (zamba; Eduardo Falu e César Perdiguero) / 12 – Soneto 93 (canção; César Isella e Pablo Neruda) / 13 – Fuego en Anymana (huayño; Tejada Gómez e César Isella) / 14 – Canción con todos (César Isella e Tejada Gómez)

   Ouça-se por último a sua canção-emblema, cantada em Santiago do Chile em 2003 :

 

 

 

   No Salão Nobre do Conservatório Nacional (Rua dos Caetanos, n.º 23), numa organização da sua Escola de Música, efectua-se nesta Quinta-feira, 27 de Junho, às 21h30, um “Recital em Homenagem a Guilhermina Suggia” onde actuarão Nuno M. Cardoso, violoncelo e Duarte Pereira Martins, piano.

   Será de entrada livre, desconhendo-se outros pormenores do programa.

 

 

 

Pinkdraft-site

   Noutro tipo de música mais alternativa, regressa nesta Quinta-feira, 27 de Junho, às 22h, à Galeria Zé dos Bois o quarteto dos “Pinkdraft” na companhia de Angelica Salvi, artista espanhola com formação clássica, “que tem na harpa uma escolha de instrumento tão inusitada quanto fascinante para se enredar nas areias movediças da composição mais experimental e da improvisação” (escreve a ZDB) .

angelica-salvi-site   Por seu turno, “ os Pinkdraft, Ricardo Jacinto no violoncelo, Nuno Torres no saxofone alto, Travassos na electrónica analógica e Nuno Morão na percussão aplicam-se num exercício de contenção que nunca resvala para as armadilhas estéreis do near silence e da improvisação lower case mais cabotina. Profundos conhecedores das possibilidades criativas erigidas da tensão entre o silêncio e o som, os quatro músicos embrenham-se num campo aberto de gestão espaço-temporal em constante mutação, afoito a crescendos balofos e não-acontecimentos sabotadores” (diz de novo a ZDB).

   Antecedem-nos no palco André Gonçalves & Riccardo D. Wanke.

   Do CD “2010 editado recentemente pela Creative Sources registo gravado no ano que o intitula o leitor pode ouvir aqui os Pinkdraft na música que compuseram para o filme “O Corredor” de Ricardo Jacinto. Já de Angelica V. Salvi reproduzimos-lhe a composição “Lucent Aquarelle” :

 

 

 

   Entretanto ao Hot Clube, esta Quinta-feira, 27 de Junho, às 22h30, regressa o “Red Trio”, formado em 2007 por Rodrigo Pinheiro (piano), Hernâni Faustino (contrabaixo) e Gabriel Ferrandini (bateria).

   Diz o Hot (e é verdade) « é um grupo que, à semelhança do seu nome, apresenta uma multiplicidade de abordagens possíveis à música e à sua composição em tempo real através da improvisação …  ao invés de se estabelecer um diálogo privilegiado do piano suportado por uma secção rítmica, o “Red Trio” procura explorar uma improvisação simbiótica e interactiva entre os três instrumentos, não havendo predominância de um instrumento sobre o outro».

   Uma sua presença em 2011 num festival em Sibiu (Roménia) pode ouvir-se em seguida :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Terça aqui)

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply