Pentacórdio para Sábado, 29 de Junho

por Rui Oliveira

 

 

 

orquestra metropolitana + coro lisboa cantat

   Em primeiro lugar refira-se a dúvida sobre se neste Sábado, 29 de Junho, às 18h30, se realiza mesmo na Biblioteca Nacional (ao Campo Grande) o concerto onde a Orquestra Metropolitana de Lisboa  e o Coro de Câmara Lisboa Cantat interpretariam a Missa 1842 de João Domingos Bomtempo, conforme noticia o site desta Associação Musical.

   Em caso negativo (que só no momento se poderá confirmar), adverte-se que, de qualquer modo e fruto de uma parceria entre a Biblioteca e a OML, na Sexta-feira seguinte, 5 de Julho, na Biblioteca Nacional, às 21h30, os mesmos intervenientes Coro de Câmara Lisboa Cantat e Orquestra Metropolitana de Lisboa sob a direcção musical de Cesário Costa, tocarão de :

        Marcos Portugal  –  Abertura da ópera Artaserse (estreia moderna)

        Marcos Portugal  –  Abertura da ópera “La maschera fortunata” (estreia moderna)

        João Domingos Bomtempo  –  Missa e Tantum Ergo (estreia moderna)

 

 

 

Festival COM'PAÇO

   Entretanto o programa das Festas de Lisboa’13 aproxima-se aceleradamente do seu fim, sendo seus derradeiros espectáculos, entre outros, o encerramento do Festival de Bandas  Com’Paço que, desde 2008, tem vindo a aproximar o público do trabalho desenvolvido pelas bandas filarmónicas de todo o país, dinamizando-o e promovendo-o.

 

   Neste Sábado, 29 de Junho, no Rossio, às 16h30, a Banda Filarmónica Gualdim Pais (Tomar) sob a direcção de Hermenegildo Campos, tocará de :

SDC12494      Nuno Leal  Cavaleiros do Templo /  Rui Coelho  Suite Portuguesa nº 1 (1.Dança Portuguesa, 2.Fado, 3.Chula) / Agostinho Caineta  Prelúdio de Verão / Luís Cardoso  Canções de Outrora .    

   Também no Rossio, às 17h30, a Banda Musical Flor da Mocidade Junqueirense (Vale de Cambra) sob a direcção de Paulo Almeida, interpretará de :

      Martinez Gallego  Amigas da Harmónica (Pasodoble de Concerto) / Shostakovich  Abertura Festiva  / Paul Murth  Eighties Flasback / Álvaro Reis Uma Noite em Lisboa (Rapsódia)

 

   No Jardim S.Pedro de Alcântara, às 16h30, a Sociedade Filarmónica de Instrução e Cultura Musical de Gançaria (Santarém) sob a direcção de Samuel Pascoal, tocará de :

      Soichi Konagaya  Grand March /  Igor Stravinsky  Excerts from “The Firebird” / Samuel Pascoal  Colete Encarnado.  

   Aí, às 17h30, a Banda da Associação Recreativa Eixense (Aveiro) sob a direcção de Carlos Valente, interpretará de :

      Nuno Osório  Hispânico / Luis Cardoso  Canções da Tradição / Luis Cardoso  Abba Mia.  

 

SDC12496   No Jardim da Estrela, às 16h30, a FilarmoniArtes – Banda Filarmónica S.Bento de Massamá (Sintra) sob a direcção de João Juvandes, tocará de :

      Charles Michiels Fanfare for a Celebration / Jacob de Haan Pasadena / Roland Kernen  Pops and spots / Nicholas Duron Up the Square.

   Às 17h30 a Banda Musical e Artística da Charneca (Lisboa) sob a direcção de Joaquim Serra Saraiva irá interpretar de :

      Álvaro Reis  Sons de cá / Johan Nijs Concert Dynamico / Piet Swerts Tum Balalaika / A.Madureira da Silva Recordações do Passado / Harold L. Walter Instant Concert.

 

   O Concerto de Encerramento do Festival  de Bandas Com’Paço no Rossio, às 19h, terá a presença da Banda de Jovens Músicos COM´PAÇO 2013 (direcção: Délio Gonçalves) e como convidados: Raquel Monteiro (voz), João Campos (voz) e José Miranda (piano) para executar de :com paco 10

      Bert Appermont   Sabic Symphonic March  

      Giuseppe Verdi  Selecção da Ópera “Aida”  

      Wang Hesheng  Romantic Charm of Pentatonism  

      Quincy Jones/Charlie Smalls  Songs of the Wizz  Arr. Peter Kleine Schaars

      Medley Queen – Adap. Luís Silva (voz:João Campos)

      Medley Amália – Adap. Luís Silva (voz: Raquel Monteiro)

      Eugénio Lopes, arr. Miguel Tapadas (voz: Raquel Monteiro e João Campos) Lisboa Tem Uma Festa que é só Sua (Grande Marcha de Lisboa 2013)

      Fernando Ramos (execução conjunta das bandas participantes no festival) Marcha COM’PAÇO  

   Eis como soou esta última Marcha quando tocada no mesmo Rossio em 2010 :

 

 

 

   Já as próprias “Festas de Lisboa’13” terão o seu próprio fecho neste Sábado, 29 de Junho, às 22h nos Jardins da Torre de Belém, cabendo aos “Moonspell” fazê-lo nummoonspell 11 concerto intitulado “Sob o Feitiço da Lua”.

   Para além de recriar os temas mais emblemáticos da banda no espectáculo Sombra, aquela formação será acompanhada pelo quinteto/tributo de violoncelosgrupo de bellydance gótico Ignis Fatuus Luna e percussão Opus Diabolicum e pelas já habituais coristas “Crystal Mountain Singers”. Para este concerto exclusivo e inédito os Moonspell estenderam o convite a outros músicos, quer portugueses quer estrangeiros. Assim em palco estarão Beatriz Nunes, Pedro Ayres Magalhães, Carlos Maria Trindade (três dos elementos dos “Madredeus”), mestre António Chainho e a cantora holandesa Anneke Van Giersbergen (ex-“The Gathering”). A juntar a este lote de convidados, o grupo de bellydance gótico “Ignis Fatuus Luna” adicionará a dimensão da dança ao repertório da banda.

 

 

 

OrobroyStopCHMacuacuaSemCredito_jpg_pagespeed_ic_foJdaapbyN

   Na programação Próximo Futuro que temos vindo a pormenorizar, o São Luiz Teatro Municipal (Sala Principal) acolhe neste Sábado, 29 de Junho, às 22h (e também no Domingo 30 à mesma hora) as criações da Companhia Horácio Macuáca (Moçambique), num conceito e coreografia de Horácio Macuácua, designadas “Orobroy, Stop!” e “Smile, if you can!”.

   “Orobroy, Stop!” é o resultado de uma recriação do Flamenco, pois « Orobroy significa “pensamento” na língua dos nómadas ciganos, povo que no sul de Espanha criou a origem do Flamenco. OrobroyNesta expressão artística exprimem-se, através do corpo, da voz, da percussão dos sapatos e da guitarra, as emoções das profundezas do ser humano. Os quatro intérpretes criadores, procedentes de contextos cénicos distintos, do tradicional ao moderno, do batuque à guitarra espanhola, do descalço ao calçado, da Europa à África, atravessam inquietudes intemporais, gerando um conceito contemporâneo singular … Quatro bailarinas caracterizadas por dois homens, uma mulher e uma estrutura de ferro e tecido expressam a origem evolutiva do ser humano, os seus conflitos, as suas dúvidas e os seus medos, através de movimentos preenchidos de força e gritos de instinto animal» (explica o coreógrafo).

   Eis um vídeo exemplificativo deste bailado :

 

   Depois em “Smile if you can!”, também com direcção artística de Horácio Macuácua, mantém-se a presença de dois dos bailarinos da última criação, Pedro Machava e Janeth Mulapha, que têm vindo a smile if you can _chmacuacuacreditos_amilton_nevescolaborar com a Cª Horácio Macuácua, há alguns anos, e juntaram-se ao grupo dois novos bailarinos, Osvaldo Passirivo e Pak Ndjamena, ambos com percursos que se cruzam nas danças tradicionais. Com a introdução destes dois elementos novos, a Companhia pretende sempre renovar-se, sem se manter presa a uma só linguagem ou estilo, buscando e atendendo novos desafios.

   Num registo mais recente, esta é a coreografia de Macuácua :

 

 

   Para os amadores de jazz, o OndaJazz continua um refúgio, pois se HOJE (notícia EM ATRASO !), Quinta 27, ainda podem ouvir a voz da cantora residente Silvia Nazario, acompanhada à guitarra por Claudio Kumar, bruno pernadasno Sábado, 29 de Junho, espera-os, também às 22h30, o “When we left Paris”Jazz Ensemble, composto por Bruno Pernadas (composição, guitarra), Pedro Pinto (contrabaixo), Sérgio Rodrigues (piano), Desidério Lázaro (saxofone  tenor e soprano) e Joel Silva (bateria).

   Sendo o mais recente projecto musical do compositor/guitarrista Bruno Pernadas, trata-se de um quinteto de jazz que reúne músicos da nova geração do panorama musical português cuja singularidade (diz o Ondajazz)Bruno-Pernadas-Ensemble 1 « se manifesta pela forma original como combina a escrita musical com a improvisação – guia permanente que movimenta esta música. A composição assume-se como o ponto de partida para uma estrutura musical que possibilita a total liberdade na diversidade rítmica, emotiva e interpretativa de cada elemento do grupo, ganhando assim uma respiração própria, o seu tempo, a sua imagem».

   As influências do grupo variam entre a música contemporânea, o jazz independente ou a música cinematográfica, passando por formas mais tradicionais como a Milonga ou a Valsa.

 

 

 

   Por último, vem ao Pavilhão Atlântico, às 22h deste Sábado, 29 de Junho, uma das cantoras de sucesso da música brasileira actual, Maria Rita, que vem apresentar o seu mais recente trabalho “Redescobrir”, editado em CD e DVD em Dezembro de 2012.maria-rita-canta-elis1

   Maria Rita apresentará neste espectáculo um reportório totalmente preenchido por músicas da cantora e diva única brasileira Elis Regina, sua mãe, numa homenagem que certamente se revelará emocionante e comovente. Dará voz a temas intemporais e verdadeiros hinos da música brasileira, apresentando os grandes sucessos que constituiram todos os 28 temas do álbum que começa por “Imagem” e “Arrastão”, passa a meio por “Me deixas Louca” e vai terminar em “Fascinação”, “Romaria”, “Madalena” e, finalmente, “Redescobrir”.

   Ouça-se aqui o álbum integral (o leitor que pretenda ver também o show da sua apresentação, tem aqui o respectivo DVD) :

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Quinta aqui)

 

 

Leave a Reply