A ILHA DOS NÁUFRAGOS, de Louis Even –14 – Fábula que permite compreender o mistério do dinheiro

14. O lobo come os carneiros

– É a isto que vás chamais dinheiro são, Senhor Martlnho? Uma   dívida nacional tornando- se necessária, mas impossível de pagar, não é dinheiro são, mas sim dinheiro doentio.Imagem1

– Meus   Senhores, toda a moeda válida, deve ser baseada em ouro, e sair do banco como   dívida. A dívida nacional é uma coisa boa, pois coloca os governos sob a   sabedoria sadia dos banqueiros. Como banqueiro, sou uma chama de   civilização na vossa ilha.

– Senhor   Martinho, nós podemos ser uns ignorantes, mas não queremos essa   civilização aqui. Nós não pediremos mais um cêntimo emprestado. Moeda válida   ou não, nós não faremos mais negócios consigo.

– Lamento essa vossa decisão precipitada, caros Senhores. Se vão quebrar os   vossos compromissos comigo, eu tenho as vossas assinaturas. Devolvei-me tudo  imediatamente: juros e capital.

– Mas   isso é impossível, senhor Martinho. Mesmo se vos devolvermos todo o dinheiro   existente na ilha não chegará para vos pagar.

– Não   quero saber. Vocês assinaram? sim ou não? Sim? Ah! bem, então em virtude do carácter sagrado dos contratos, confiscarei todas as vossas propriedades como  penhor da dívida, tal como foi acordado , quando vocês estavam contentes de me  terem entre vós. Se não quereis servir de bom grado a potência suprema do   dinheiro,  servi-la-eis à força. Continureis a explorar a ilha, mas   para mim e segundo as minhas condições. Ide-vos embora, que eu amanhã vos ditarei as minhas ordens.

Amanhã – o controlo dos jornais

1 Comment

Leave a Reply