POESIA AO AMANHECER – 333 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

                                   ORLANDO MENDES

                                        ( 1916 – 1990 )

            ILHA

            O menino branco nasceu numa ilha do mar Índico

            Na rota dos navios cargueiros

            E a Mãe Negra o embalou carinhosa

            Nas horas mornas vagarosas da solidão

            E o menino cresceu brincando com os meninos negros

            As viagens longas para terras distantes

            E hoje o menino branco faz viagens longas

            E os meninos negros ficam à espera dos dias de São Vapor

            Que nunca mais hão-de chegar.

            Os turistas filmam a inédita nudez

            Para documentação dos arquivos sociais

            O Mar, ai o Mar é apenas a Grande Água

            E só Mãe-Terra velhinha fiel

            Vela por ti menino ainda sem condição

            Na ilha do Mar Índico onde nasceste

            (de “A Ilha de Moçambique pela Voz dos Poetas”)

Poeta, romancista e darmaturgo. Considerado pioneiro da moderna poesia moçambicana. Da sua obra poética: “Trajectórias” (1940), “Clima” (1959), “Depois do Sétimo Dia” (1963), “Adeus do Gutucumbi” (1974), “País Emerso” (1976), “Lume florindo na forja” (1980) e “As faces visitadas” (1985).

Leave a Reply