POESIA AO AMANHECER – 376 – por Manuel Simões

               poesiaamanhecer

MARIA MANUELA MARGARIDO

                 ( 1925 – 2007 )

            MEMÓRIA DA ILHA DO PRÍNCIPE

            Mãe, tu pegavas charoco

            nas águas das ribeiras

            a caminho da praia.

            Teus cabelos eram lembas-lembas

            agora distantes e saudosas,

            mas teu rosto escuro

            desce sobre mim.

            Teu rosto, liliácea

            irrompendo entre o cacau,

            perfumando com a sua sombra

            o instante em que te descubro

            no fundo das bocas graves.

            Tua mão cor de laranja

            oscila no céu do zinco

            e fixa a saudade

            com uns grandes olhos taciturnos.

 

            (de “No Reino de Caliban-II”)

Poetisa são-tomense. Esteve exilada em Paris durante muitos anos. Incluída na antologia “Poetas de S. Tomé e Príncipe” (CEI, 1963), organizada por Alfredo Margarido. Todos os seus poemas dispersos foram reunidos por Manuel Ferreira em “No Reino de Caliban-II” (1975).

Leave a Reply