POESIA AO AMANHECER – 412 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

RUI MACHADO

                                          ( 1966 )

            PARA O PAI

            tome as mãos e faça delas

            cabos que se entre

            laçam em algazarra

            e com os cabos amarre a

            terra

            que os olhos vêem na

            horta, como os pássaros no

            campo

            batendo asas

            assim nascem os frutos que

            cuidaste

            durante o ano

 

            agora faça o contrário, tome

            as mãos para

            desenlaçar os cabos e

            com eles amarre os frutos na

            pequena horta

 

            (1993)

            (da antologia “Nove Rumores do Mar”)

Poeta. Coordenou o suplemento literário “O Pulsar” do jornal “Açoriano Oriental” desde 1992. Obra poética: “Um Homem para ser Feliz” (1988), “A Língua dos Frutos e dos Peixes” (1995).

 

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: