LANÇAMENTO DE “BACCHANALIA”, seguido de “COMO FALSA PORTA”, de JOSÉ EMÍLIO_NELSON – AMANHÃ, 8 de JULHO, às 18.30, na ABYSMO, R. da HORTA SECA, 40 r/c – LISBOA

Convite lançamento Bacchanalia__

 

«BACCHANALIA seguido de COMO FALSA PORTA»

de JOSÉ EMÍLIO-NELSON

Edições Sem Nome

‘Bacchanalia’, culto grego a Dionisios, lugar de diálogos em banquetes entre homens cultos, copiosamente regados, jocosos, que mais tarde os filósofos (Platão, Xenofonte, Kierkegaard) começaram por referir com essa designação, Banquete, recria a tertúlia poética impregnada de interrogações, em que se debate as ortodoxias, avaliando conceitos como o Amor, a Morte, o Tempo, a Eternidade (que José Emílio-Nelson refere como ‘Teologia Culposa’) e temas como a atracção, as festividades do ser, ‘sem Deus, sem Mestre’.

A prática poética de Emílio-Nelson faz-se como ‘Acção sobre a Língua’, ‘língua bífida’ como o autor repetidamente tem assumido, em que a sua poesia escatológica é a Utopia e o Extreme, simultaneamente.

«COMO FALSA PORTA» dialoga com a pintura de revelação matemática de António Quadros Ferreira, sobre Cosmogonias, numa metáfora ‘rolante’ em que a matriz se reformula acompanhando a arte combinatória do pintor.

_____________

 

Ficha Técnica

(extracto)

Título

«Bacchanalia» seguido de «Como Falsa Porta»

Autor

José Emílio-Nelson

Editora

Edições Sem Nome

Número de páginas

80

Formato

14,5 x 19,5 cm

Papel

Munken Pure 240 g (capa)

Coral Book Creme 1.2 90 g (miolo)

Capa

de Luiz Pires dos Reys

(manipulação de painel de António Quadros Ferreira, cujo original é reproduzido no interior da obra)

Contracapa

António Quadros Ferreira (sobre original de Domingos Pinho)

ISBN

978-989-99071-0-2

PVP

9,60 euros

_______________

Leave a Reply