POESIA AO AMANHECER – 481 . por Manuel Simões

481

poesiaamanhecer

LACYR ANDERSON FREITAS

  ( 1950 )

            VILA DO DESTERRO

 

            cidade sitiada pelo escombro

            que palmilha o rio das mortes

 

            o portal é um relicário

            aberto à grandeza escassa da nuvem

 

            o azul um convite

            doendo aos olhos

                        enfim descemos

            ah

            e a cidade chora

            o corpo vencido na tarde

 

            campina adentro

            descemos

 

            ao longe

            por entre as torres do pálio

            o azul

                        o azul também se adianta

 

            (de “Reflexos…”)

Poeta e ensaísta brasileiro. A sua estreia literária ocorre em 1982, tendo publicado mais de uma dezena de livros de poesia. Antologiado em “Reflexos da Poesia Contemporânea do Brasil, França, Itália e Portugal” (2000). Da sua obra poética: “Primeiro Livro das Chuvas” (1991), “Primeiras Letras” (2007).

 

Leave a Reply