EXPOSIÇÃO COLECTIVA DE ARTE URBANA – HORS DES MURS – no INSTITUTO FRANCÊS em PORTUGAL, na Av. LUÍS BÍVAR, 91, em LISBOA

Chama-se Hors les Murs e é uma Exposição Colectiva de Arte Urbana organizada pelo Instituto Francês em Portugal e pela Underdogs.

Tem obras de Alexandre Farto (Vhils), de MaisMenos, ambos de Portugal,  e dos franceses Olivier Kosta-Théfaine e Remed. Iniciou-se em 07 Março 2014 e poderá ser vista até Março 2015.

horslesmurs-01c5eb7d

No site do Instituto está a seguinte informação:

“Lisboa é uma das plataformas privilegiadas da Arte Urbana, Arte da rua, Arte na Rua. Os artistas intervêm espontaneamente nos muros e nas fachadas da cidade. A actualidade (sobretudo política e económica), a localização, a arquitectura, a matéria, as superfícies acidentadas da cidade…tudo é matéria para inspirar, deformar, utilizar, desviar. O espaço urbano como espaço de intervenções artísticas, poéticas, políticas. Lugares abandonados que retomam vida alguns meses, transformam-se continuamente. Estes artistas fascinam pela sua liberdade e criatividade. O mundo da arte interessa-se por eles: filosofia de vida, movimento artístico ou um meio de expressão artístico como qualquer outro? As galerias interessam-se por estes artistas, as suas obras são documentadas,a imprensa segue-os, as suas obras originais são admiradas e fotografadas nas ruas do mundo inteiro.

Durante 365 dias, o número 91 da Avenida Luís Bívar, propõe-se ser o local de intervenção de artistas urbanos tanto franceses como portugueses. Esta recente transformação do coração do Institut Français du Portugal em parceria com a Galeria Underdogs marca o início de uma nova programação cultural que ao longo do ano 2014 se voltará para a juventude, a diversidade cultural, a francofonia e as culturas urbanas.

Nas últimas décadas, as nossas cidades tornaram-se  suportes privilegiados da criação. Os artistas utilizam o espaço urbano como tela.  Eles intervêm nas paredes e fachadas dos nossos edifícios. A actualidade política,  os traços do nosso quotidiano, os acasos da arquitetura … tudo é matéria de inspiração., utilização, desvio, reinterpretação . Lugares abandonados ganham vida por alguns meses. Enquanto que outros, bem conhecidos, transformam-se perpetuamente sob o olhar dos seus habitantes. Os artistas oferecem um diálogo visual quotidiano aos citadinos contemporâneos.

O Instituto Francês de Portugal confiou o comissariado desta exposição à galeria Underdogs, uma galeria dedicada à arte pública. Hors le murs   é uma encenação conduzida por quatro artistas franceses e portugueses que têm desenvolvido durante anos o seu trabalho, recorrendo a  vários formatos e várias técnicas, no espaço público das nossas cidades contemporâneas.

Remed convida-nos a entrar no seu universo colorido no hall de entrada, Alexandre Farto  Vhils revela a correlação de rostos e cidades esculpindo  cartazes de arquivos do Instituto Francês de Portugal para realizar uma das suas obras de marca.

Olivier Kosta – Théfaine apresenta o trabalho ” This is a Low budget Artwork”, reproduzida em várias línguas e cidades, utilizando a técnica do tag, tão perturbadora nas ruas, questionando a própria noção de obra de arte.±MAISMENOS± recorre aos ideais dos dois movimentos sociais mais importantes na Europa – Revolução Francesa e Maio de 68 – para provocar a reflexão sobre o seu incumprimento. Hors les Murs é um diálogo visual encenado nas paredes do Institut français du Portugal entre quatro artistas que têm, no decurso da sua obra, desenvolvido múltiplas reflexões estruturais com recurso a vários formatos e suportes no espaço público das cidades contemporâneas.

Expressando a vitalidade e a diversidade de linguagens visuais que os artistas têm desenvolvido nas suas abordagens à criação no vasto território do espaço urbano, Hors les Murs contempla as novas proposições estéticas da arte urbana num contexto interior, jogando com a condição selvagem e apropriadora da sua natureza e celebrando o seu fulgor primário fundamental no modo como re-cria e re-interpreta os signos, significados e estruturas físicas e culturais da cidade.

Hors les Murs sublinha diferenças e semelhanças, contrastes e aproximações numa multiplicidade de leituras dos vários planos de realidade que a dimensão do espaço urbano encerra, expressando abordagens ora puramente críticas ora emocionais e poéticas na sua sublimação da condição humana nas sociedades urbanas contemporâneas.

Os artistas:

Alexandre Farto aka Vhils (1987) tem desenvolvido uma linguagem visual original com base numa estética do vandalismo derivada da dimensão mais ilegal do graffiti. O artista português trabalha a remoção de camadas superficiais de paredes e outros suportes com ferramentas e técnicas não convencionais, estabelecendo reflexões simbólicas sobre a passagem do tempo e a relação de interdependência entre pessoas e meio circundante. Desde 2005 tem apresentado o seu trabalho à volta do mundo em exposições, eventos institucionais e intervenções site-specific. www.alexandrefarto.com.

±MaisMenos± é um projecto artístico interventivo do artista Português Miguel Januário, que oferece uma reflexão crítica sobre o corrente modelo de organização política, social e económica que gere as sociedades urbanas contemporâneas. A sua expressão programática apresenta-se conceptualmente reduzida a uma equação de simplicidade e opostos: mais/menos, positivo/negativo, preto/branco. Tem produzido trabalho instigante e inovador tanto dentro como fora de portas desde 2005. http://maismenos.net.

Olivier Kosta-Théfaine (1972) é um prolífico artista autodidacta francês com um background de graffiti, cujo trabalho explora a cultura e o desperdício de ambientes urbanos e suburbanos através da pintura, relevos, escultura e instalações, interagindo e jogando com os códigos da cultura popular, manipulando a estrutura e sintaxe da sua linguagem e oferecendo uma nova reinterpretação poética. Tem exposto o seu trabalho em galerias e instituições desde 1996. www.olivierkostathefaine.com.

Remed (1978) é um artista francês que começou a pintar no espaço intimista do seu atelier em Lille em 1995. A vontade de se libertar de restrições formais e espaciais e de alargar o âmbito do seu trabalho levaram-no a interagir com o espaço urbano onde tem desenvolvido um estilo apurado de forma livre, simplificando e sintetizando as formas geométricas, figurativas e tipográficas com que cria composições originais de influência gráfica que expressam uma poesia pura através da qual sublinha a beleza do mundo.http://remed.es.

 Horário: Segunda a sexta, 8:30 – 21:00/ Sábado, 8:30 – 13:00

No Institut Français du Portugal

Avenida Luís Bívar, 91, 1050-143 Lisboa – www.ifp-lisboa.com

Underdogs/

Plataforma internacional de trabalho para as artes visuais e gráficas com sede em Lisboa que visa criar espaço na cena da arte contemporânea para artistas ligados às novas linguagens da cultura visual urbana (www.under-dogs.net)

 

 

Leave a Reply