ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – 485 €: O NÚMERO DA VERGONHA É O SALÁRIO DE 400 MIL PESSOAS.

banners-site-1-ano

20111202pd0-300x203

 

485€: o número da vergonha é o salário de 400 mil pessoas | Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis

Em Portugal o valor do salário mínimo é metade da média dos salários mínimos da europa: 485€, o número da vergonha.

Na verdade, depois dos descontos, o valor do salário mínimo fica nos 432€ e há cada vez mais pessoas que estão nesse patamar, cerca de 400 mil, a maioria mulheres.

Agora, a um ano das eleições, o Governo quer subir o salário mínimo.

Mas as contradições são mais que muitas, o vice primeiro ministro, Paulo Portas, que ainda há poucos meses dizia que o salário mínimo era baixo, agora vem dizer que “quem sabe da poda são as empresas”.

Já as empresas querem que o aumento seja para 500€ e querem ter benefícios pela subida. No entanto, em 2011, quando o salário mínimo subiu para 485€ havia um acordo para subir até 500€ até 2012, acordo que nunca foi cumprido pelos governos do PS e do PSD/CDS-PP, apesar dos patrões terem tido benesses fiscais na altura (aqui).

A UGT vem falar de um aumento para 505€, usando o argumento dos empresários de que maiores subidas seriam para favorecer o desemprego. Infelizmente, esta central sindical não leu o relatório da OCDE que diz que o que está a impedir o crescimento da economia e a estimular o desemprego são os baixos salários.

A CGTP tem-se batido por uma atualização em 2015 para 515€, de forma a cumprir o que tinha sido acordado em 2010, e uma subida gradual para 540€ em 2015 e 600€ em 2016.

Notícia aqui.

Leave a Reply

%d bloggers like this: