RAPARIGAS E RAPAZES DE LISBOA – DOMINGOS ANTÓNIO SEQUEIRA

dia de lisboa

Domingos António de Sequeira nasceu em Lisboa, no bairro de Belém, no dia 10 de Março de 1768, tendo morrido em Roma a 8 de Março de 1837. Imagem1Os historiadores da Arte, classificam-no como um vvulto incontornável do período de transição do Neoclassicismo para o Romantismo.Filho de gente muito pobre – o pai era barqueiro – estudou na Casa Pia de Lisboa e frequentou  o curso de Desenho e Figura na Aula Régia. Obtendo uma bolsa de estudo de D. Maria I, em 1788, com apenas 20 anos, partiu para Roma onde, na Academia Portuguesa,  recebeu lições de pintura e desenho do renomado Antonio Cavallucci. Foi depois admitido como professor na Academia di San Luca. Ganhou vários prémios atribuídos pelas academias italianas a trabalhos seus. Regressou a Lisboa em 1795. Em 1802 foi nomeado pintor da corte em 1802 e co-director da empreitada de pintura do Palácio da Ajuda.

A sua juventude foi vivida numa Europa incendiada pela Revolução de 1789 e pela profunda convulsão política que se lhe seguiu. As invasões francesas e as lutas liberais foram cenário da sua vida e reflectem-se na sua obra. A Vila-Francada, expressão da contra-revolução miguelista, levou-o ao exílio em Paris. Expôs, no Salão do Louvre, merecendo a medalha de ouro e sua colocação entre os pintores românticos europeus mais representativos, ao lado de Eugène Delacroix. Em 1826 fixou-se em Roma, aí morrendo sem regressar a Portugal. O seu túmulo encontra-se na Igreja de Santo António dos Portugueses na capital de Itália. Domingos António – do bairro pobre de Belém ao reconhecimento internacional do seu mérito. Nada mal para o filho de um barqueiro…

 

Leave a Reply