ASSINALAR ANIVERSÁRIO DA APAV E DIA DA MULHER COM UMA CANÇÃO PELAS VÍTIMAS: “CANSADA”

A nova canção junta Aldina Duarte, Ana Bacalhau, Cuca Roseta, Gisela João, Manuela Azevedo, Marta Hugon, Rita Redshoes e Selma Uamusse.

 banner_cansada

Oito cantoras portuguesas juntaram-se para dar voz à APAV, numa canção-hino pelas vítimas de violência doméstica. A canção original “Cansada” tem letra e música de  Rodrigo Guedes de Carvalho, com arranjos e produção musical de Filipe Melo, e reúne oito grandes vozes de Portugal: Aldina Duarte, Ana Bacalhau, Cuca Roseta, Gisela João, Manuela Azevedo, Marta Hugon, Rita Redshoes e Selma Uamusse.

 Esta canção não só funciona como um hino para a APAV, como cumpre a função importantíssima de despertar consciências para o problema da violência doméstica, transmitindo a mensagem que é importante dizer não: “Não aceito, digo não. Nem que o meu grito seja só uma canção.”

A música é interpretada pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa, dirigida pelo maestro Vasco Pearce de Azevedo. Conta ainda com Filipe Melo no piano, Nelson Cascais no contrabaixo, Alexandre Frazão na bateria e Ana Castanhito na harpa. Som e imagem gravados nos Estúdios Atlântico Blue. O videoclip tem assinatura do realizador Tiago Guedes.

Esta canção surge num ano especial para a APAV, uma vez que neste 2015 celebramos os nossos 25 Anos de atividade. Têm sido 25 anos a apoiar todos aqueles que são vítimas de crimes, vítimas de todos os crimes. Têm sido 25 anos a dar voz ao silêncio. Também com esta canção queremos dar voz ao silêncio.

A APAV agradece a todas e a todos que colaboraram na realização deste projecto: Rodrigo Guedes de Carvalho, Aldina Duarte, Ana Bacalhau, Cuca Roseta, Gisela João, Manuela Azevedo, Marta Hugon, Rita Redshoes, Selma Uamusse, Orquestra Sinfonietta de Lisboa, Maestro Vasco Pearce de Azevedo, Filipe Melo, Nelson Cascais, Alexandre Frazão, Ana Castanhito, Rui Guerreiro, José Maria Sobral, Fernando Dallot, Helena Figueiredo, Alexandre Ferrada, Tiago Guedes, Take It Easy e Atlântico Blue Studios.

 

1 Comment

  1. Pesa-me o nome de quem nada ouviu.
    A esfera da vida roda tonta e leve
    Nume vida breve
    Como nunca vi
    Mas… não compreendi.

    Pesa-me que isto ainda aconteça!

Leave a Reply