CEGADA GRUPO DE TEATRO – ENCERRAMENTO DO TEATRO-ESTÚDIO ILDEFONSO VALÉRIO – CARTA ABERTA A TODOS OS VEREADORES DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA

1459088_596975723670978_665593298_n

banner

Exmos Senhores Vereadores de todas as forças politicas.


Após o fracasso da reunião entre a Direcção do Grupo de Teatro Cegada e os responsáveis do executivo Municipal, no passado dia 30 de Março, na qual foi afirmado que “…se o Grupo de Teatro Cegada cresceu, se desenvolveu formação de novos públicos e uma programação regular no TEATRO-ESTÚDIO Ildefonso Valério, isso não é responsabilidade da Autarquia”, demonstrando uma clara desresponsabilização política para com toda a acção cultural desenvolvida no concelho. Torna-se claro que, neste contexto, só as forças politicas da oposição, utilizando as ferramentas democráticas ao seu dispor, podem alterar o curso da situação.

Ficou claro para o Grupo de Teatro Cegada que não existe o interesse por parte do actual executivo em esclarecer ou regulamentar os actuais critérios de financiamento aos criadores e programadores teatrais, apenas nos foi dito que o projecto dos nossos colegas da Inestética foi apresentado há quinze anos e como tal continua em curso.

Como todos sabemos, ao nível do Governo Central nenhum projecto de nenhuma estrutura artística é apoiado pecuniariamente sem novo concurso publico por um período superior a quatro anos, no que diz respeito ao apoio máximo facultado pelo Estado Português aos criadores e programadores através dos Apoios Quadrianuais da Direcção Geral das Artes – Secretaria de Estado da Cultura – com um tecto máximo actual de 200.000 € por ano, onde é executado um relatório e uma avaliação anual por parte da DGArtes para a boa continuidade do projecto financiado a quatro anos.

Também relativamente à legalização do TEATRO-ESTÚDIO Ildefonso Valério, enquanto sala de espectáculos, nada de concreto foi referido, foi apenas mencionado que se o espaço está cedido, o Grupo de Teatro Cegada deve-o utilizar como entender, mesmo que sem meios financeiros seja obrigado a fazê-lo à margem do enquadramento legal em vigor, como sempre tem acontecido, subentende-se.

É do conhecimento público e da comunicação social que esta matéria será debatida amanhã dia 8 de Abril, em reunião de Câmara, nos Paços do Concelho em Vila Franca de Xira, por todos os Vereadores eleitos por todas as forças politicas, aos quais agora cabe a criação de condições para a desenvolvimento teatral do Concelho que, como se pode comprovar pelas declarações proferidas pelo ilustre Júri na entrega do Prémio Mário Rui Gonçalves, no passado dia 22 de Março, do qual fez parte João Mota, até há pouco tempo Director Artístico do Teatro Nacional D. Maria II, se encontra estagnado.

No culminar desta situação o município anunciou o alargamento do Prémio Mário Rui Gonçalves a companhias da área metropolitana de Lisboa, uma medida que manifestamente não defende a criação teatral no concelho.

Mário Rui Freitas

presidente da direcção

________

 Ver também a petição:

http://www.peticao24.com/encerramento_do_teatro-estudio_ildefonso_valerio

Leave a Reply