CRÓNICAS DO QUOTIDIANO – CRISTÃOS OU SERES HUMANOS? – por Mário de Oliveira

quotidiano1

Ninguém é cristão por nascimento. Nascemos seres humanos. Fazem-nos cristãos. Os grandes do Ocidente – papas, bispos, filósofos, biblistas, chefes do poder – falam, a cada passo, das “raízes cristãs da Europa”. Não acrescentam, por não ser politicamente correcto acrescentar, que tais raízes cristãs resultam da prepotência do império romano, a partir de Constantino. Decreta à cidade e à ecumene (= urbi et orbi) que o cristianismo é a única religião do império. Deveríamos envergonhar-nos dumas raízes impostas por lei imperial. Escudada na violência militar que rouba, exclui, destrói, massacra quantos dos seus súbditos a não acatam. É conhecido o aforismo em latim, a língua dos imperadores de Roma, depois dos papas de Roma, “Cuius regio, eius religio” = “De quem a região, dele a religião”; ou, em versão menos sintética, “A religião do rei/chefe máximo do poder é a religião dos seus súbditos”. Um insulto. Uma agressão. Cristãos por imposição, não por convicção. Que seres humanos em seu perfeito juízo, escolhem ser súbditos/escravos/servos duma casa, duma família, duma dinastia que, por ser mais hábil, mais rica, mais armada, faz saber aos demais que foi escolhida por Deus para reinar sobre eles que, entregues a si próprios, não saberiam comportar-se em sociedade? Não é só por medo de represálias, castigos públicos, perseguições de toda a ordem que alguém suporta essa condição? Cristianismo é o Poder vencedor. O Cristo. Ou, no reverso da mesma medalha, o medo do Poder vencedor. A princípio, estranha-se. Com o tempo, entranha-se. Ao ponto de passarmos a ter, até, orgulho de sermos cristãos = súbditos de algo, de uma doutrina, de alguém todo-poderoso. Orgulho?! Uma humilhação que continua entranhada como um demónio na consciência das populações. Não é da natureza humana ser-se cristão É contra ela. Por essa via, a do Poder, nunca somos autónomos, sujeitos, livres. Apenas paus-mandados, toda a vida! P.S. Quem diz cristianismo, diz judaísmo, islamismo, jhiadismo, qualquer outro ismo.

18 Abril 2015

 

Leave a Reply