ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ESCRITORES ASSINALA OS 50 ANOS APÓS A EXTINÇÃO PELA DITADURA DIA 26 DE MAIO, ÀS 18h30

 A Associação Portuguesa de Escritores (APE) leva a cabo, no dia 26 de Maio, pelas 18h30, uma sessão pública de evocação dos 50 anos da destruição da Sociedade Portuguesa de Escritores pela ditadura de Salazar a pretexto da atribuição do Grande Prémio de Novelística ao Luuanda, de José Luandino Vieira.

 header

Na circunstância, em cooperação com a Editorial Caminho, proceder-se-á à apresentação da edição comemorativa de Luuanda, numerada e autografada pelo autor (os cem primeiro exemplares).

Após as intervenções de José Manuel Mendes, presidente da APE, de Zeferino Coelho, da Editorial Caminho, da historiadora Irene Fluser Pimentel, do escritor Manuel Alegre, assistir-se-á a um concerto do pianista, músico, docente universitário e compositor Luís Pipa, que interpretará, peças de sua autoria, de Isaac Albéniz e de Edvard Grieg.

A direcção da APE convida os seus sócios e todos os interessados a tomar parte na cerimónia, que ocorrerá na sala 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O seu presidente, José Manuel Mendes, afirmou à agência Lusa que, após ter sido conhecido que “Luuanda”, de Luandino Vieira tinha vencido, “deu-se a actuação repressiva do regime, que teve contornos de barbárie que não podem ser esquecidos”, no dia 21 de Maio de 1965, lembrando os acontecimentos brutais que “marcaram de forma nítida aquilo que era o traço da actuação repressiva do regime de Salazar com os escritores, os jornalistas e a liberdade de expressão”.

1507-1

Uma nova edição da obra é comemorativa da 1ª edição (1965), e do prémio da Associação Portuguesa de Escritores, no mesmo ano. A obra terá uma edição especial, com uma tiragem de 500 exemplares, 100 deles assinados pelo autor.Nela consta uma introdução de José Manuel Mendes e um texto das catedráticas Laura Padilha e Rita Chaves.

A entrada é livre.

Leave a Reply