NO TEATRO NACIONAL DONA MARIA II, CICLO PORTUGAL – GALICIA: CENÁRIOS PARA UM ENCONTRO, DIA 5 DE JUNHO, ÀS 18H, ODE MARÍTIMA

No dia 5 de Junho, às 18h e no salão nobre do Teatro Nacional D. Maria II, pode assistir a “Ode Marítima”, com entrada livre.

outras680_19866931054e1daa4a7344

Apresentado na Sala Estúdio do TNDM II, em 1987, Ode Marítima foi um espetáculo marcante, tendo destacado a crítica a interpretação de João Grosso, que lhe valeu, em 1988, o Prémio de Melhor Jovem Ator. Para esta interpretação, João Grosso “fez mais do que decorar o poema, como que o meteu na própria pele, é como se fizesse parte da sua respiração” (Carlos Porto, 1987). Este texto, único pelos jogos de linguagem, pelo ritmo e sonoridades, é caraterístico pela sua estética intensa. Para o pessoano e filósofo José Gil, Campos era dos heterónimos o “poeta do quotidiano metafísico”, tendo construído uma majestosa ode onde se revelam algumas linhas de força do período futurista e sensacionista. “A vida não chega. Afunda-te. Ribomba. Escancara o mar dos afetos. Nave vazia. Início. Sempre. Início.”

de Álvaro de Campos

criação e interpretação João Grosso

organização IN-CM (Imprensa Nacional – Casa da Moeda) em parceria com TNDM II

Leave a Reply