Na Gulbenkian – CAM – de 19 de Junho a 26 de Outubro X de Charrua | Tensão e Liberdade

Na Gulbenkian no CAM – Centro de Arte Moderna – de 19 de Junho a 26 de Outubro | das 10,00 às 18,00 | encerra às segundas 

charrua

X de Charrua

Antológica

CAM

CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO DAS IMAGENS: As imagens que constam desta galeria destinam-se exclusivamente à divulgação da exposição X de Charrua, devendo a sua publicação ser acompanhada dos respetivos créditos fotográficos (assinalados). A Fundação Calouste Gulbenkian declina quaisquer responsabilidades pelo uso indevido destas imagens.

Curadoria: Ana Ruivo e Leonor Nazaré

Atraído pela opacidade e pela fulgurância da cor, António Charrua (1925 – 2008) começa a pintar nos anos 50, distanciando da escultura esse seu fascínio. Simultaneamente contemplativa e desafiante, espontânea e preparada, matérica e metafórica, expressionista e arquitetónica, abstrata e referencial, a sua pintura acerca-se do mistério e das circunstâncias históricas com o mesmo empenho emotivo.
Nos anos 50 e 60, em Évora, António Charrua centraliza o contacto entre diferentes gerações de artistas e escritores com quem partilha vivências, tertúlias e interesses. Esta exposição corresponde, por um lado, a uma oportunidade de revisitação antológica da obra de Charrua, nunca acontecida em Lisboa, e por outro, a uma documentação desses encontros.

 

tensão e liberdade

Tensão e liberdade. Tensión y libertad. Tension and freedom

Coleção la CAIXA / MACBA / CAM

CAM

CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO DAS IMAGENS: As imagens que constam desta galeria destinam-se exclusivamente à divulgação da exposição TENSÃO E LIBERDADE. TENSION Y LIBERTAD. TENSION AND FREEDOM, devendo a sua publicação ser acompanhada dos respetivos créditos fotográficos (assinalados). A Fundação Calouste Gulbenkian declina quaisquer responsabilidades pelo uso indevido destas imagens.

A exposição cria um encontro entre os acervos das três instituições da Península Ibérica e assumirá diferentes formatos e escolhas nos três museus. No CAM a seleção de obras será guiada por as ideias de tensão e liberdade que serão abordadas tanto num sentido político e social como também artístico.

Artistas por ordem alfabética:

João Abel Manta
Gabriel Abrantes

Vasco Araújo

Miroslaw Balka

Eric Baudelaire

Samuel Beckett

Luísa Cunha

Pepe Espaliú

Ângela Ferreira

Ramon Guillén-Balmes

Richard Hamilton

Ana Hatherly

Roni Horn

Mike Kelley

Martin Kippenberger

Asier Mendizabal

Miralda

Antoni Muntadas

Bruce Nauman

Nuno Nunes Ferreira

Damián Ortega

Jeff Wall

Bilheteira

Entrada no CAM: 5 €

Entrada gratuita ao domingo

 

Leave a Reply