“LIMIAR” VOLTA AO JÚLIO DE MATOS, DIAS 3 E 4 DE JULHO DAS 10H ÀS 13 H

“Limiar” da autoria de João Silva será apresentado nos próximos dias 3 e 4 de Julho no Salão Nobre, do antigo Hospital Júlio de Matos, actual Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.

limiar_©manuel_jose_alves_1_7437662505193c4b073ba4

Limiar foi apresentada no Teatro Nacional D. Maria II em Novembro de 2009. Na altura João Silva escreveu:

“Normalidade… Anormalidade… O ser normal ou não o ser, o que é? Há zonas limites que nos obrigam aceitar ou a sofrer o injusto, a rejeição?

Quem decide? O que impõe? Quais os parâmetros das decisões que podem bloquear, alienar ou mesmo matar?

“O que é diferente não pode ser parecido ou igual ao mais comum de tudo mas, exatamente, a marca das diferenças que torna o comum acima de valores mais elevados”.

A partir de inquietações sobre o normal/anormal, os atores do Grupo de Teatro Terapêutico Dirigido – pessoas com experiência da doença mental- propuseram ao encenador que redigisse, escrevesse uma peça para Teatro de “escrita criativa de discussões e conversas em grupo com análises de conteúdo das ideias em causa”, que proporcionasse algo a levar ao público em geral, numa leitura cénica que permitisse dar a conhecer melhor “a reflexão normal” de pessoas consideradas ainda como personalidades estigmatizadas por conceitos que parecem desajustados na conjuntura da sociedade atual.

“Limiar”, o texto conseguido de preocupações do Grupo de Teatro Terapêutico é uma metáfora do real, de experiências vividas. Coloca-nos na soleira do desconhecido, é o desafio a cada um de nós.

O que atravessámos ou tentámos, conhecemos, mas valerá a pena franquear o desconhecido, o outro lado, mesmo correndo o risco do não regresso?

“Limiar”, são as interrogações de personagens que procuram entender porque arriscaram; porque não devem arriscar; porque é que o risco é afrodisíaco perigoso quando não controlado.”

Leave a Reply