ASSOCIAÇÃO DE COMBATE À PRECARIEDADE – PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – FCUL QUER RECEPCIONISTAS A TRABALHAR A BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

banner-site-emergency2

Plano Emergência 2015

23 de Outubro de 2015

FCUL quer recepcionistas a trabalhar a bolsas de investigação | Associação de Combate à Precariedade – Precários Inflexíveis

Claramente a moda pegou. Tal como a ACP-PI tem vindo a denunciar (lê aqui), as universidades e institutos públicos abrem despudoradamente concursos de falsas bolsas para suprir as suas necessidades permanentes. Depois dos concursos de bolsa para pedreiros (aqui), jardineiros (aqui), directores (aqui), cobradores (aqui), secretários (aqui), a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa oferece agora uma bolsa de técnico de investigação para desempenhar funções que vão de recepcionista e telefonista ao apoio à manutenção do edifício. O anúncio pode ser visto aqui.

fcul-1024x290

 

O (ab)uso das bolsas afasta-as cada vez mais dos seus objectivos primários: a investigação e a formação, seja na área das ciências exactas, seja na das ciências sociais e humanas.

Anúncios como este despojam promiscuamente os trabalhadores dos seus direitos laborais básicos. É urgente que o Governo crie condições para ultrapassar as dificuldades na contratação de funcionários na função pública e para a criação de contratos laborais em Ciência (exigências que podes ler no nosso Plano de Emergência de Combate à Precariedade e ao Desemprego).

Tal como temos salientado anteriormente, é inadmissível a impunidade total no recurso abusivo a bolsas no Estado e é necessário que alguma entidade faça o controlo deste tipo de concursos para evitar a continuada generalização do abuso de bolsas precárias para preencherem funções permanentes das instituições.

facebooktwittergoogle_plusredditlinkedintumblrmailby feather

Leave a Reply

%d bloggers like this: