NA CASA DA MÚSICA, PORTO, DIA 1 DE NOVEMBRO, ÀS 18H, “À VOLTA DO BARROCO”

A Casa da Música vai debruçar-se, neste mês de Novembro, sobre o  Barroco, de 01 a 24 de Novembro.

cm 1.11

Em Ano Alemanha, o Festival À Volta do Barroco tem um rosto: Johann Sebastian Bach. Figura incontornável da História da Música Ocidental, o maior compositor do período Barroco é alvo de concertos monográficos por parte da Orquestra Barroca Casa da Música, que apresenta a Integral dos Concertos Brandeburgueses sob a direcção do aclamado Laurence Cummings, e da Akademie für Alte Musik Berlin, agrupamento que constitui uma referência maior da discografia internacional. Bach é igualmente uma figura central no programa do Coro Casa da Música, dedicado ao seu respeitadíssimo antecessor na música germânica, Heinrich Schütz, com motetos que assinalam o fim da Guerra dos 30 anos. É igualmente Bach que Heinz Holliger, um dos oboístas mais brilhantes de todos os tempos, vem interpretar à Casa da Música num concerto da Orquestra Sinfónica que desvenda a belíssima e original homenagem de Charles Koechlin ao eterno compositor de Leipzig.

As Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz são alvo de uma versão cénica com o actor João Reis e a música orquestral de Haydn, contando com uma nova recolha de textos que permite repensar a obra original e o seu significado no contexto da actualidade.

1 NOV 2015Domingo 18:00
Sala Suggia

AKADEMIE FÜR ALTE MUSIK BERLIN

Akademie für Alte Musik Berlin

Georg Kallweit violino e direcção musical

Raphael Alpermann cravo

Dorothee Mields soprano

Programa:

Johann Sebastian Bach Sinfonia da cantata “Ich geh und suche mit Verlangen”, BWV 49

Johann Sebastian Bach Cantata “Mein Herze schwimmt im Blut”, BWV 199

Johann Sebastian Bach Concerto para violino em Mi maior, BWV 1042

Johann Sebastian Bach Concerto para cravo em Fá menor, BWV 1056

Johann Sebastian Bach Cantata “Weichet nur betrübte Schatten”, BWV 202

Fundada em 1982 na cidade de Berlim Este, a Academia de Música Antiga Berlim é desde o início uma referência na arte de bem interpretar a música do Barroco. Dirigida pelos seus quatro concertinos e pelos maiores maestros da actualidade, a orquestra tem uma das mais premiadas discografias a nível mundial. Dentro do seu vastíssimo repertório, Bach ocupa um lugar de eleição. No seu regresso à Casa da Música, onde interpretou Händel e Purcell no Festival À Volta do Barroco de 2009, apresenta cantatas de Bach e um dos Concertos para cravo mais populares do Barroco, obra plena de carácter rítmico, marcada por contantes diálogos entre o solista e a orquestra e por mudanças de coloridos resultantes da sua enorme variedade harmónica.

“Uma interpretação de grande beleza que muito deve à forma de tocar incisiva e bonita da Akademie für Alte Musik Berlin.” [The Classical Review]

Leave a Reply