“STOP MOTION PARA EADWEARD”, NO TEATRO DONA MARIA II, DIAS 21 E 22 DE NOVEMBRO

Integrado no Lugar do Olhar

Provou que o cavalo corre com as quatro patas no ar. Inventou o zoopraxiscópio, instrumento com que deu movimento às imagens. Estudou os atletas, o que mais tarde inspirou Meyerhold na introdução da biomecânica no trabalho do ator. Eadweard Muybridge é um dos mais influentes fotógrafos ingleses do séc. XIX, cujo trabalho é sempre reconhecido, mas nunca a si associado.

21.11 ii

Em Stop motion para Eadweard, espetáculo que cruza a linguagem do cinema com o teatro, a obra do artista é relembrada em simultâneo com notas da sua biografia. Um espetáculo para conhecer Eadweard que assassinou o amante da mulher. Eadweard que foi absolvido desse crime, considerado justo. Eadweard que abandonou o único filho. Mas também Eadweard que impulsionou a ciência em desenvolvimento na sua época e que, com tão poucos recursos, foi capaz de revolucionar o campo artístico da Imagem-Movimento.

A obsessão, a repetição, o inóspito, o caos e o congelamento do tempo e das ações, são alguns dos temas trabalhados por este ser obstinado e certo do seu caminho. Stop motion para Eadweard é uma homenagem ao cinema, à fotografia e à vontade inóspita de um homem provar a sua arte e o seu nome.

Lugar do olhar

Este ano, o D. Maria II associou-se ao Festival Temps d’Images com a realização de um open call dirigido a jovens artistas na área das artes performativas que pretendessem apresentar, durante a edição de 2015, um trabalho em estreia que integrasse imagem em movimento. As candidaturas foram avaliadas por um júri composto por Jorge Salavisa, Tiago Rodrigues e António Câmara, que selecionou três projetos a apresentar na Sala Estúdio do D. Maria II.

21 – 22 NOV 2015

SALA ESTÚDIO

sáb, 21h30
dom, 16h30

Leave a Reply