OLHARES SOBRE A HISTÓRIA – NOS TEMPOS DE D. JOSÉ…  – O MOTIM DO PORTO de 1757 – por JORGE LÁZARO

Saltimbancos

Estátua de Arnaldo Gama (1828 - 1869), autor de Um Motim Há Cem Anos". sobre o motim de 1757, no Porto.
Estátua de Arnaldo Gama (1828 – 1869), autor de Um Motim Há Cem Anos”. sobre o motim de 1757, no Porto.

O povo do Porto andava descontente com o preço do vinho e atribuía as responsabilidades à recém criada Companhia das Vinhas do Alto Douro.

Era dia de quarta feira de cinzas e o povo ia-se reunindo para participar na procissão. De repente, ouviram-se gritos: Viva o povo! Morra a Companhia! E, de seguida, alguém acrescentou: Vamos buscar o juiz do povo! Ele tem de falar por todos nós!

Tardava o juiz a decidir-se quando alguém gritou: Se não vem a pé, que venha sentado! Tragam uma cadeirinha! A multidão seguiu para casa do corregedor. Receoso que o matassem assinou tudo quanto lhe puseram à  frente, incluindo editais e cartazes a anunciar a suspensão da Companhia das Vinhas do Alto Douro. Dali foram ao encontro do provedor. Este recebeu-os com dois tiros, mas a multidão não recuou.

Mas, de repente, alguém deu o grito de alerta: Fujam, que vem aí a tropa!

Era verdade. A tropa veio e prendeu a eito homens, mulheres e crianças!

 Três semanas depois chegou o juiz encarregado de julgar os culpados.

As penas foram muito duras: 21 homens e cinco mulheres foram condenados à morte na forca; 87 foram condenados a açoites na praça pública e ao degredo, uns, nas galés, outros, em África e 40 viram os seus bens confiscados e foram degredados para outras partes do reino.

As forcas mantiveram-se em pé durante três anos.

_______

Acedendo ao link abaixo, poderão ver a peça O Motim, de Miguel Franco, numa representação da Seiva Trupe, no Teatro do Campo Alegre. Julgamos que esta ocorreu em 1987. Norberto Barroca foi responsável pela adaptação e encenação. A realização do filme da RTP de 1987.

http://www.rtp.pt/rtpmemoria/?article=1010&visual=2&tm=8&layout=5

 

 

Leave a Reply