CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – COMO APRENDE O NOSSO CÉREBRO – MÁRIO DIONÍSIO E O ENSINO – FAZER BRINQUEDOS – DESENCONTROS – CINEMA COM ‘OUTONO ESCALDANTE’

4 a 7 de Dezembro de 2015

Nesta sessão, que esteve marcada para 21 de Novembro, mas que teve de ser adiada, António Bracinha Vieira vem falar-nos da história do nosso cérebro, do que o distingue do dos outros primatas, dos sacrifícios evolutivos necessários para desenvolvermos as faculdades que temos neste momento, da capacidade de linguagem e do antigo debate sobre que é inato e o que pode ser adquirido pela aprendizagem.

Em Outubro, no início do ciclo temático «Escola, para que te quero?», a Casa da Achada publicou o livro O quê? Professor?!, uma antologia de textos de Mário Dionísio sobre o ensino (palestras, artigos, intervenções) e alguns inéditos, com introdução de Rui Canário.

Pensámos que seria interessante pegar nesta obra e discuti-la mais a fundo. Para isso convidámos António Albuquerque, Luísa Pereira, Maria João Brederode, Maria João Brilhante e Rui Canário para discutirem estas ideias a pensar na escola que temos hoje.

Fazer, fabricar e sujar também faz parte da aprendizagem. Por isso, nos domingos de Dezembro, vamos andar a fazer brinquedos.

Nos domingos 6 e 13 de Dezembro, vamos, com Eupremio Scarpa, fazer brinquedos a partir do que já não presta. Depois, a 20 de Dezembro, vamos, com Lena Bragança Gil e Rubina Oliveira, fabricar brinquedos a pensar nos que são feitos sem chegarem às lojas. Por fim, na última oficina do ano, dia 27, vamos fazer brinquedos com tecidos com a orientação de Irene van Es.

Ao fim da tarde, pelas 18h30, continamos a leitura de A Paleta e o Mundo de Mário Dionísio. Vamos continuar a leitura da 3ª parte, «Os primeiros pintores malditos». Quem lê o 1º capítulo, «Desencontros», é José António.

Mais tarde, às 21h30, inserido no ciclo «Escola, para que te quero?», projectamos o filme Outono escaldante (1972, 132’) de Valerio Zurlini, que será apresentado por Gabriel Bonito.

A programação completa pode ser vista aqui.

O GRUPO DE TEATRO COMUNITÁRIO DA ACHADA APRESENTA:

  • MÃOS COM INQUIETAÇÕES
    Sexta-feira, 4 de Dezembro, 21h30
    Livraria Ler Devagar, Lx Factory, Lisboa
    «Mãos com Inquietações» é um espectáculo colectivo criado a partir de dois poemas de Mário Dionísio («Pior que não cantar» e «Solidariedade»), do texto («Mãos cheias») de Conceição Lopes, de um excerto do texto A Mãe da Comuna Teatro de Pesquisa, de 1977 (a partir de Bertolt Brecht), e algumas inquietações e outras ideias à volta das mãos (e dos pés), passando e sendo contagiados também pelo poema de Regina Guimarães («Mãos vazias às Mãos cheias») e pelo poema de José Frade («Poder»), sendo tudo pautado pela música do Balanescu Quartet com uma pequena intervenção pelo meio de Arvo Pärt.
    Perseguimos a ideia de fazer um trabalho colectivo que vive das presenças e das ausências daqueles que lhe dão corpo, das suas necessidades e dificuldades, das suas raivas e angústias, das suas alegrias e tristezas, mas sobretudo da sua vontade de querer fazer.
    Falamos e mostramos as nossas mãos como quem dá e interroga. Tudo podemos fazer e desfazer com as nossas mãos.
    Estão cá hoje Andreia Fragoso, Antonieta Moreira, Cátia Teixeira, Cristina Didelet, Elsa Santos, F. Pedro Oliveira, Fernando Chainço, Fernando Lopes, Francisco d’Oliveira Raposo, Hélder Gomes de Pina, Liliana Cristovão, Liliana Patrício, Luís Arez, Margarida Louro, Marta Frade, Paula Trindade, Pedro Silva, Rui Carvalho, Susana Barroco, Teresa Ventura, Vitor Ataide e também o Coro da Achada.

NO NOSSO HORÁRIO DE ABERTURA:
2ª, 5ª e 6ª feiras, das 15h às 20h
sábados e domingos, das 11h às 18h

  • EXPOSIÇÃO «ESCOLAS: REAPRENDER E ENSINAR»
    Através de documentos e imagens inéditos, traçamos o percurso singular de dois professores que também foram alunos antes e depois do 25 de Abril. Mário Dionísio e Maria Letícia Clemente da Silva estiveram ligados ao ensino, deram aulas em vários liceus de Lisboa, e empenharam-se em tornar a escola um lugar de efectiva formação dos jovens. O que pensavam sobre educação e como punham em prática as suas ideias, muito diferentes das que, durante décadas, foram impostas a professores e alunos pelo antigo regime? Uma exposição que nos ajudará a pensar os problemas das escolas hoje.
  • BIBLIOTECA E MEDIATECA DA ACHADA
    A Biblioteca da Achada tem secções de Literatura, Arte, Cinema, Teatro, História, Ciência, Literatura Infanto-Juvenil, etc… Pode-se ler no local ou requisitar livros.
    Na Mediateca da Achada estão disponíveis os filmes que temos vindo a projectar nos nossos ciclos de cinema.
    O catálogo da Biblioteca e Mediateca está disponível na internet, aqui.
    Há também outros pólos da Biblioteca aqui no bairro. Podem visitar e ler livros no pólo do Posto de Atendimento de São Nicolau da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, na Rua da Prata, e no Espaço AmbiJovem, no Largo dos Trigueiros.

EM QUALQUER DIA, COM MARCAÇÃO, É POSSÍVEL CONSULTAR:

  • CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO
    Constituído pelo arquivo de Mário Dionísio e pela sua biblioteca e de Maria Letícia Clemente da Silva (mais de 6000 volumes e mais de 200 publicações periódicas).
    O catálogo pode ser consultado na internet, aqui.

QUEM QUER EXPERIMENTAR TEATRAR?

  • GRUPO DE TEATRO DA ACHADA
    Quem quer experimentar usar a voz e o corpo para dizer coisas com ou sem palavras? O grupo, com F. Pedro Oliveira, ensaia habitualmente todas as terças-feiras às 21h. É só aparecer e participar.

QUEM QUISER E PUDER PODE AJUDAR A CASA DA ACHADA:

Escolas - I

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply