No Palácio Foz dia 21 de Março 2016 às 16:00 Simpósio | Belém 400 Anos

No Palácio Foz – Sala dos Espelhos – dia 21 de Março às 16:00

Simpósio

simpósio

Comemoração dos 400 anos da Fundação de Belém do Pará, pelos portugueses

SIMPÓSIO DOS 400 ANOS FUNDAÇÃO DE BELÉM DO PARÁ

“NADA NAS CONQUISTAS DE PORTUGAL É MAIS EXTRAORDINÁRIO DO QUE A CONQUISTA DA AMAZÔNIA (JOAQUIM NABUCO, DIÁRIO DO BRASIL)”.
O século XVII é o século de Portugal na Amazônia. Inicia-se com a expedição de Francisco Caldeira Castelo Branco que a 12 de janeiro de 1616 chega  a um outeiro na Ponta do Piry, dando por fundada a cidade de Santa Maria de Belém do Grão Pará. Ato geopolítico para o controle da foz e do curso do grande Rio das Amazonas. Em seguida com a ajuda dos índios Tupinambá constriu o Forte do Presépio para a defesa da cidade recém- fundada. Após,  manda Pedro Teixeira ao Maranhão para comunicar o êxito da viagem, inaugurando a via de comunicação  terrestre entre Belém e São Luís. A partir desse momento a história de Belém será também a história da conquista da Amazônia.

                A dilatação das fronteiras até ao Perú através da Grande Expedição de Pedro Teixeira, que partiu de Belém em 1637, chegou aos Andes, e ao regressar em 1639, estava demarcado 60% do território brasileiro, num contínuo e sistemático processo de afirmação dos portugueses no vasto território. O Ver-o-Peso de origem lusitana  foi  o primeiro entreposto para o controle dos produtos entrados e saídos na cidade.  Os templos  de Santo Alexandre, atual Museu de Arte Sacra, Catedral da Sé, Igrejas de São João Batista e Santa Ana são legados de Portugal em Belém. O ensino da língua portuguesa via catequese com a figura maior do Padre Antônio Vieira que chegou em 1653, são elementos que consolidaram a herança portuguesa na Amazônia.

Coordenação Científica

Maria Adelina Amorim

Centro de História da Universidade de Lisboa

Anete Costa Ferreira

Fórum Landi, Universidade Federal do Pará

TEMAS E PALESTRANTES:

O significado histórico da conquista da Amazônia

JOÃO PAULO OLIVEIRA E COSTA

Centro de Estudos de Aquém e Além Mar, Universidade Nova de Lisboa

Espiritualidade e império na amazônia portuguesa: no berço da feliz lusitânia

MARIA ADELINA AMORIM

Centro de História da Universidade de Lisboa

O momento e o lugar da fundação de Belém do Pará

EDILSON MOTTA

Centro de História de Aquém e Além Mar, Universidade Nova de Lisboa

A definição das fronteiras amazônicas: a ação do Barão do Rio Branco

LAURO MOREIRA

Ministério das Relações Exteriores do Brasil

Moderadora

ANETE COSTA FERREIRA

Universidade Federal do Pará -Fórum Landi

Apoio

Embaixada do Brasil em Lisboa

Presidência do Conselho de Ministros – Secretaria Geral

CHAM – Centro de Estudos de Aquém e Além Mar

Programa Amazoníada: arte, ciência e educação

 

*Entrada Livre condicionada à lotação da sala.

As portas abrem 30 minutos antes do evento.

 
 
 

Leave a Reply