O DRAMA DOS MIGRANTES NUMA EUROPA EM DECLÍNIO E CAPTURADA POR ERDOGAN E OBAMA – 7. A TURQUIA ESTÁ POR TODO O LADO!

refugiados - I

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota

logo_banniere

A Turquia está por todo o lado!

Michel Lhomme, politólogo, La Turquie est partout!

Revista Metamag, 11 de Abril de 2016

lhomme - I

Tanto para os atentados de Bruxelas como para os de Paris, a proximidade entre os suspeitos e a Turquia aparece como um elemento chave do processo.

Para além da Turquia, são as relações com o wahabismo saudita ou pelo menos com alguns dos seus serviços que se perfilam mas,  ao que parece ser cada vez mais claro, é cada vez mais a pista que nos  leva  à Turquia. É de resto a tese defendida asperamente pela rede Voltaire frequentemente bem informada.

Assim, o Audi S4 preto, que serviu  para transportar os autores dos atentados de Bruxelas e pertencendo a um jovem turco de vinte e dois anos, identificado pelos serviços de informação belgas por ter feito, em 2015, uma viagem à Arábia Saudita com motivações pouco claras,  leva-nos  uma vez mais, pelos inquéritos e pelas fugas policiais, não aos fanáticos de subúrbio em roda livre mas antes a uma intensa actividade militarizada entre de um lado os executores dos crimes praticados e que estão  instalados na Bélgica e o outro lado, o dos organizadores que frequentemente passaram pela Turquia via Arábia Saudita para se juntarem ao Estado Islâmico ou para dele regressarem.

O inquérito destes últimos dias mostra efectivamente desta vez que os serviços de informação se interessam pelas  idas e vindas entre a Europa e a Arábia Saudita, país este  que continua a ser, no entanto,  um dos principais parceiros militares da França na desestabilização programada da Síria desde 2011.

É mesmo muito curioso que, de repente, as estradas da Europa se encontrem a serem percorridas por uma multidão de suspeitos que tomam sempre a rota do Danúbio para retornar à fronteira turca enquanto que ao mesmo tempo a Rússia leva a sério as ameaças de encerramento do Bósforo por Istambul.

Torna-se cada vez mais impressionante que a versão oficial dos atentados que limitava a organização destes a 8 pessoas não se sustenta de pé. Realmente, redes estruturadas, importantes, dotadas de meios estrangeiros, estão em actividade. É agora evidente que os serviços secretos estrangeiros (Turquia?) manipulam ou tentam manipular os acontecimentos.

Mas por esta frente ocidental turca, seremos levados a uma frente oriental turca onde os combates mortíferos que retomaram entre a Arménia e o Azerbaijão na região do Alto Karabakh  fizeram mais de trinta mortes. O conflito entre a Arménia e o Azerbaijão que incubava desde 1994 retomou nestes últimos dias (“ com uma amplitude inédita” de acordo com o Alto Representante do Karabagh em França) no Alto Karabakh , em que quer o Azerbaijão quer a Arménia rejeitam a responsabilidade de se terem  quebrado as  tréguas  e de se terem retomado as hostilidades.

Mas não é então a abertura de uma enésima guerra por procuração e uma vez mais entre a Rússia e a Turquia sobre o fundo de guerra na Síria? Com efeito, a Rússia apoia a Arménia numa aliança na Organização do Tratado de Segurança Colectiva, a Turquia apoia o Azerbaijão para tomar derrotar a Arménia com quem tem um conflito histórico-memorial.

lhomme - II
Autonomismo, independentismo e irredentismo no Cáucaso

De facto, esta semana, o presidente Vladimir Putin apelou “a um cessar fogo imediato”, enquanto que o presidente Recep Tayyip Erdogan disse defender “ até ao fim” o seu aliado, o Azerbeijão. A esta “nova” rivalidade russo-turca no fogo dos acontecimentos acrescenta-se no conflito do Alto Karabagh, o papel do Irão.

Com efeito, o Irão é povoado como o Azerbaijão de chiitas, mas por razões geoestratégicas (em especial o traçado dos gasodutos e dos oleodutos), Teerão é diplomaticamente próximo da Arménia. Ora, dividir o povo chiita é também uma bela opção no cenário de caos actual do campo de batalha sírio.

Ah, mas como é complicado o Oriente!

Michel Lhomme, politólogo, Revista Metamag, La Turquie est partout!. Texto disponível em:

http://metamag.fr/2016/04/11/la-turquie-est-partout/

 

Leave a Reply