CARTA DE VENEZA – PELA EMANCIPAÇÃO DA POESIA – por Vanessa Castagna

 

Vivem os Poetas nas pausas

procurando portas fugitivas

entre as palavras mudas dos loucos.

 

Erramos tácitos e sós,

sem coesão nenhuma,

um atrás e o outro à frente

e juro que de nada nos saciamos.

(W.01, Escárnio)

 

Nas últimas semanas intensificou-se em Veneza a presença do Movimento pela Emancipação da Poesia (MEP – http://mep.netsons.org/), fundado em Florença em 2010 com o objetivo de infundir nas pessoas comuns um renovadoMovimento pela Emancipação da Poesia interesse e respeito pela poesia, considerada nas suas diferentes formas. Para além de uma atividade intensa nas redes sociais, um dos canais utilizados para esse fim é a afixação clandestina de poemas anónimos pelas ruas das cidades. O anonimato é imposto pelo Movimento aos seus autores, para que a poesia em si seja colocada em primeiro plano.

Na semana passada vários poemas, em diversos formatos, surgiram de madrugada, colados em paredes em especial numa das zonas universitárias mais frequentadas da cidade, perto de Campo Santa Margherita, surpreendendo e emocionando muitos transeuntes subitamente transmutados em leitores casuais.

O impacto da inundação de poemas é grande e consegue, ainda que no curto espaço de poucos minutos, contrastar o frenesi do dia a dia; por isso a ideia de exportar esta iniciativa pelo mundo fora é sem dúvida aliciante. Paris já foi atingida pela iniciativa, em 2015, mas ficamos a aguardar por mais.

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: