UM COPO DE VINHO FRESCO, por FERNANDO CORREIA DA SILVA

(1931 – 2014)

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply