EXPOSIÇÃO “A METADE DO CÉU” NO MUSEU ARPAD SZENES – VIEIRA DA SILVA ATÉ 23 DE JUNHO

 

Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva, em Lisboa, celebra, este ano, o vigésimo quinto aniversário de abertura ao público. E é no âmbito desta celebração que, a par das obras de Maria Helena Vieira da Silva, o museu apresenta três novas exposições, todas inauguradas a 21 de Março. São elas A Metade Do Céu, Lusofolia – A Beleza Insensata e O Jardim-Bosque.

Clara Menères

A grande exposição de celebração é A Metade Do Céu, com curadoria do artista plástico Pedro Cabrita Reis, que estará patente até ao dia 23 de Junho.

A exposição reúne exclusivamente obras realizadas por mulheres artistas portuguesas, oriundas das mais diversas áreas do pensamento e da criatividade, e cujos trabalhos estão situados num arco temporal de produção situado entre meados do século XX e a actualidade. Serão apresentadas obras de 60 artistas, do Barroco de Josefa de Óbidos à contemporaneidade de criadoras como Maria Helena Vieira da Silva, Paula Rego, Helena Almeida, Lourdes Castro, Menez e Graça Morais, Ana Hatherly, Adriana Molder, Filipa César, Ana Jotta, Joana Vasconcelos, ngela Ferreira, Fernanda Fragateiro, Graça Costa Cabral, Leonor Antunes, Sofia Areal e Clara Menéres.

O artista propõe uma exposição colectiva “inteira e declaradamente liberta de qualquer condicionalismo temático, desprovida de uma narrativa curatorial e que se quer, aliás, alheia ao artifício discursivo” e foi buscar o título da exposição a uma expressão atribuída ao líder chinês Mao Tsé-Tung, segundo o qual toda e qualquer mulher sustenta “A metade do céu”.

Salete Tavares
Pedro Cabrita Reis traz ao Museu Vieira da Silva “uma importante selecção de obras pelo seu carácter pluridisciplinar”, convocando o desenho e a pintura, a escultura e a instalação, a fotografia e o vídeo.
Esta exposição “perscruta o lado lunar de cada artista, dando a ver, sempre que possível, o que menos se espera dela – uma ou outra obra não tão frequentemente mostrada, talvez até desfasada, de algum modo inusitada”. É o caso de Menez, Ana Hatherly e Helena Almeida.
“A metade do céu traduz uma certa ânsia pelo estremecimento do desvio epifânico, dessa queda absolutamente primordial. Por certo, mesmo a mais ilustre e estudada artista é aqui apresentada para e na iminência de ser redescoberta, uma e outra vez, pelo olhar contemporâneo”.
Ana Isabel Miranda Rodrigues, Ana Pérez-Quiroga, Catarina Leitão, Fátima Mendonça, Graça Pereira Coutinho, Luísa Correia Pereira, Patrícia Garrido, Rita GT, Rosa Carvalho, Salomé Lamas, Sara & André, Sara Bichão, Sarah Affonso, Susanne Themlitz, Túlia Saldanha e Vanda Madureira são outras artistas que estarão representadas na exposição.

Leave a Reply