CTA – FESTIVAL DE ALMADA ARRANCA COM BRECHT – QUINTA-FEIRA, 4 de JULHO, na ESPLANADA da ESCOLA D. ANTÓNIO COSTA, na Avenida Professor Egas Moniz, 22A, em ALMADA

A boda, de Bertolt Brecht, com encenação de Ricardo Aibéo

DIA 4

Festival de Almada arranca com Brecht

O 36º Festival de Almada é inaugurado na próxima quinta-feira dia 4 de Julho, pelas 20h30, com a habitual Música na Esplanada. O Palco da Esplanada da Escola D. António da Costa, de entrada gratuita, recebe o conjunto Opaz, que animará o primeiro jantar no Restaurante da Esplanada com ritmos balcânicos. Às 21h, também na Escola D. António da Costa, serão inauguradas duas exposições de homenagem a Carlos Avilez: Gabinete de memórias e curiosidades com vista para o palco – Vida e obra de Carlos Avilez; e O gabinete optimista – Para Carlos Avilez.

O Palco Grande, às 22h, recebe A boda, de Bertolt Brecht, com encenação de Ricardo Aibéo, pela companhia Sul Associação Cultural e Artística.

Insolente e burlesco, inspirado num sketch do seu amigo Karl Valentin, o texto data de 1919, quando o dramaturgo contava apenas vinte e um anos. Indo beber às feiras e festas da cerveja à boa moda e tradição alemãs da sua cidade natal de Augsburg, na Baviera, é um retrato ácido do casamento – ritual celebratório, sacramento, mas sobretudo instituição na qual assenta a vida adulta e a existência de pessoas cedo condenadas à hipocrisia. Apresentada pela primeira vez em Frankfurt em 1926, a peça escandalizou. Mais tarde, Brecht reintitulou o texto, chamando-lhe A boda dos pequenos burgueses, inscrevendo assim à cabeça a sua aversão aos burgueses – sempre dúplices, ambíguos, complexados e, por sua própria acção, ridículos.

Ricardo Aibéo (n. 1973) estreou-se como actor com Shakespeare, em 1996 – o ano em que começou a colaborar com o Teatro da Cornucópia, onde mais tarde viria, já como encenador, a assinar a direcção de vários espectáculos. Fez muito cinema, também como realizador, tendo assinado o documentário A Ilha (2009, premonitório, rodado durante os ensaios de A tempestade, de Shakespeare), sobre o Teatro da Cornucópia – a companhia histórica, entretanto extinta, com a qual os actores deste espectáculo colaboraram regularmente. Esta criação é mais um passo na afirmação das suas vontades e cumplicidades como grupo.

.

A BODA

de Bertolt Brecht | Encenação de Ricardo Aibéo

TRADUÇÃO: Jorge Silva Melo e Vera San Payo de Lemos 

INTERPRETAÇÃO: David Almeida, Dinis Gomes, Duarte Guimarães, João Craveiro, Luis Lima Barreto, Márcia Breia, Rita Durão, Rita Loureiro e Sofia Marques

CENOGRAFIA: Cláudia Lopes Costa

DESENHO DE LUZ: Rui Seabra

FIGURINOS: Cláudia Lopes Costa e Susana Moura

DIRECÇÃO DE PRODUÇÃO: Armando Valente

PRODUÇÃO EXECUTIVA: Daniel Nunes

 
SUL ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ARTÍSTICA (Lisboa, Portugal)
Co-produção: Centro Cultural de Belém e Teatro Nacional São João 

LÍNGUA: Português

ESCOLA D. ANTÓNIO DA COSTA | PALCO GRANDE | M/12

04 JUL | QUI | 22H

PREÇO: 15€

INFORMAÇÕES: +351 212 739 360 ou em www.ctalmada.pt

 

 

 

 

 

Miguel Martins

Comunicação

 +351 21 273 93 60 | +351 91 540 70 94
imprensa@ctalmada.pt | www.ctalmada.pt

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: