CARLOS REIS – AS DESVENTURAS DE UM NEO-DEPENDENTE

 

2 Comments

  1. Aconselho-o a seguir o meu exemplo; só o utilizo para aquecer o café com leite e a sopa.
    Dando-lhe pouco trabalho, pode ser que nunca chegue a explodir…

    Arrisco desta forma há já muitos anos e ainda não fui vítima de nenhum dos hipotéticos desastres anunciados – prenunciados? – no assustador livrinho de instruções.

    1. Agradeço as suas palavras. Não tenho facebooks, twitters, etc., pelo que o faço deste modo, digamos, clássico.
      Na verdade é capaz de ter razão – tantos anos (uma vida) sem micro-ondas e agora eis-me com ele nos braços, sem prática e com dificuldade em ligar com um desconhecido, pelos vistos caprichoso e explosivo…
      Vou tentar essa de aquecer o café e a sopa. Confesso no entanto (estou muito orgulhoso) que já descongelei, com êxito, um lombinho de porco posteriormente assado e cumpridor.
      Prometo umas receitas futuras, com ou sem micro-ondas – artefacto esse onde me recuso a cozinhar. Se cozinhar se pode chamar àquela operação de ficção científica, que pouco ou nada tem a ver com a cozinhação.

      Carlos Reis

Leave a Reply