FRATERNIZAR – Com o Governo a desconfinar a ‘conta-gotas’ – REGRESSO ÀS HÓSTIAS COM GLÚTEN, OU ÀS COMIDAS-COMENSALIDADE DE JESUS?! – por MÁRIO DE OLIVEIRA

https://youtu.be/3U888RsojSw

 

Com o Governo a desconfinar a conta-gotas e a possibilidade de mais um Estado de Emergência no horizonte, por imposição do Presidente da República que, tal como o Papa de Roma a quem acaba de ir prestar vassalagem, do que mais gosta é do poder monárquico absoluto e infalível, as dioceses e paróquias católicas de Portugal regressam às missas e às hóstias com glúten nos templos, ou, pelo contrário, desistem de vez dessas obscenas encenações litúrgicas, e abrem-se progressivamente às Comidas-Comensalidade em que Jesus histórico, o de antes do cristianismo, é assíduo praticante? Na verdade, só estas Comidas-Comensalidade são um exclusivo de pessoas inteiras, com vez e voz, e não meras espectadoras desconectadas entre si que, no final desses rituais nos templos ou online, se experimentam muito mais deprimidas do que antes.

Se nem a Pandemia Covid-19 consegue abrir os olhos dos clérigos e fazê-los passar de nascidos do Poder, em que se tornaram, a nascidos de mulher, em sintonia com a sua matriz original, única e irrepetível, temos de concluir então que todos eles são inconvertíveis. E, nesse caso, melhor fora que nunca tivessem nascido. Porque tudo o que fazem e dizem traz o sopro do Poder, visceralmente assassino, antes de mais da sua própria mente cordial. E sem a mente cordial, os clérigos são estéreis funcionários eclesiásticos a evitar a todo o custo. Pelo que frequentar os espaços onde eles são reis e senhores, os únicos com voz e vez, e nos quais levam as pessoas a engolir hóstias com glúten e a escutar leituras bíblicas escolhidas e comentadas por eles de acordo com os seus corporativos interesses, é o mesmo que perder a alma.

O Concílio Vaticano II bem quis acabar de vez com os tenebrosos 16 séculos de domínio clerical, conhecidos como Cristandade Ocidental, e dar corpo a um novo modelo de Igreja, sem clérigos, sem hierarquia, apenas com ministérios ou serviços ordenados, concretamente, de diácono, presbítero e bispo. A verdade é que a Constituição dogmática sobre a Igreja, ‘Lumen Gentium’ que, explicitamente avança esse novo modelo, continua ainda por acolher, digerir e praticar. Uma vez que a Cúria Romana, furiosa com a sua aprovação, esperou que morressem os dois papas – João XXIII e Paulo VI – que presidiram ao Vaticano II e correu a buscar à Polónia católica, inimiga figadal da Liberdade e da Autonomia das pessoas e dos povos, o Cardeal Wojtyla, um dos bispos da minoria conciliar que havia votado contra a aprovação da ‘Lumen Gentium’ e fez dele papa de Roma, mascarado de João Paulo II. Com a expressa missão de meter a ‘Lumen Gentium’ na gaveta, como se ela nunca tivesse existido,

E assim se fez durante o seu longuíssimo mandato. Depois da sua morte e daquela apressada canonização por Ratzinger, o carrasco dos teólogos de libertação, elas e eles, como seu sucessor na cátedra de Pedro, esse mesmo que negou Jesus histórico por três vezes, a Cúria romana foi ainda mais longe. Correu a tirar da gaveta a Constituição ‘Lumen Gentium’ sobre a Igreja, queimou-a e espalhou as cinzas no deserto, para que ela nunca mais a volte a assombrar nem a ela nem ao Papa de turno. Uma jogada de mestre da perfídia que, desde há oito anos, tem contado com a bênção do primeiro papa jesuíta, de seu nome Francisco, cristão dos quatro costados, filho de Inácio de Loyola e de S. Paulo, o perseguidor histórico de Jesus, o de antes do cristianismo, e o doutrinador-mor do judeo-cristianismo, no qual a Cristandade Ocidental encontra plena justificação.

Regressar a Jesus, o de antes do cristianismo e às suas práticas políticas alternativas, é imperioso e urgente. Um regresso, de todo vedado aos clérigos, filhos do Poder. A menos que eles desistam de vez desse seu perverso estatuto e regressem à sua matriz original de filhos de mulher. Se nem esta pausa imposta pela Pandemia Covid-19 os faz mudar, é por demais manifesto então que são inconvertíveis. Neste caso, avisados andaremos, se os deixamos a falar sozinhos e nos organizamos, alegremente, a partir de nossas próprias casas, em redor de Comidas-Comensalidade. Porque lá, onde este tipo de Comidas acontecem, Jesus histórico está activamente presente, mediante o seu Corpo Sopro/Ruah, o único que nos faz progressivamente humanos e sororais. O que é bom, muito bom para nós e para toda a Humanidade.

 

 

 

www.jornalfraternizar.pt

 

Títulos dos temas desta semana das demais Pastas:

 

1 Poema de cada vez

CANTO DO DESERTOR

Luís Cília

Destaque

José Manuel Sánchez Ron

A CHEGADA DO ANTROPOCENO

Documentos + extensos

Texto de Alejandro Tena

E A GUERRA CONTRA A TERRA DESEMBOCOU NUMA PANDEMIA GLOBAL


Entrevistas

Com Boaventura de Sousa Santos

‘TENHO MEDO PORQUE O POVO NÃO SAI PARA PROTESTAR NA RUA’

 

Outros TEXTOS de interesse

Adriana Zarri

O SILÊNCIO QUE FALA


TEXTOS de A. Pedro Ribeiro

CABEÇAS DE GADO

 

TEXTOS Frei Betto, Teólogo

PÁTRIAS ARMADAS

 

TEXTOS de L. Boff, Teólogo

NOVOS DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO

Leave a Reply