Crise Financeira no Horizonte. Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise: 5. Um outro olhar sobre o disfuncionamento dos mercados financeiros – 5.1. O Curioso Caso do Fundo de Cobertura de risco que ganhou 700 Milhões de Dólares em GameStop. Por Tyler Durden

Logo tipo de WallStreetBets, um sítio subreddit, área de interesse criada pelos utilizadores onde são organizadas discussões na Reddit, um site deTamb´rrm  agregação de notícias sociais, classificação de conteúdos web e de discussão.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Parte I – Rebentam as primeiras bombas que sinalizam a vinda da próxima crise

 

5. Um outro olhar sobre o disfuncionamento dos mercados financeiros

5.1. O Curioso Caso do Fundo de Cobertura de risco que ganhou 700 Milhões de Dólares em GameStop

 

 Por Tyler Durden

Publicado por  em 05/02/2021 (The Curious Case Of The Hedge Fund That Made $700 Million On GameStop)

Republicado por  em 07/02/2021 (ver aqui)

 

Enquanto o retalho estava a “incomodar os profissionais de finanças de Wall Street” (ver aqui o sentido da expressão “sticking it to the suits”) – os profissionais do fundo de cobertura Senvest Management estavam prestes a ganhar 700 milhões de dólares graças à subida de GameStop. Porquê? Porque a GME era a maior holding da Senvest em 7 de Outubro, o que é uma estranheza considerando que muitos dentro do mundo dos fundos de cobertura na altura a encaravam como uma potencial candidata à falência – dificilmente uma atitude prudente do ponto de vista fiduciário, a menos que Senvest tivesse um plano… e o rapaz parece de facto que tinha um plano.

Mas recuemos um pouco.

Os gestores da Senvest, Richard Mashaal e Brian Gonick, começaram a comprar ações da GME em Setembro, revela a reportagem do Wall Street Journal, apenas semanas antes de terem acumulado 3,6 milhões de ações, fazendo com que a Gamestop fosse a maior holding do fundo. Mashaal disse ao Journal: “Quando começou a sua marcha, pensámos, algo está a passar por aqui. Mas não fazíamos ideia da loucura que esta coisa ia ficar“.

Em retrospectiva, ele poderia apenas ter tido uma ideia.

A GameStop transformou-se no investimento mais rentável de sempre da empresa, em dólares ganhos e em taxa de retorno. O fundo Senvest passou de 1,6 mil milhões para 2,4 mil milhões de dólares em resultado da mudança da GameStop e, no mês de Janeiro, o fundo subiu 38,4%. A GameStop é também a razão pela qual a Senvest é atualmente o fundo com melhor desempenho, monitorizado pelo popular relatório Hedge Weekly do HSBC.

Thomas Peterffy, presidente da Interactive Brokers, notou o que muitos tinham suspeitado: “Não se trata aqui apenas de pessoas comuns no longo prazo. Há jogadores enormes a jogar dos dois lados da GameStop“.

Richard Mashaal, à esquerda, e Brian Gonick fizeram $700 milhões com a GameStop em apenas três meses

Ele estava certo. Senvest diz que o seu interesse no nome GameStop foi “levantado por uma apresentação do novo chefe executivo da GameStop numa conferência de investimento do consumidor em Janeiro de 2020“. O WSJ escreve:

Mas enquanto falavam com a direção, referenciando os concorrentes e notando o envolvimento de ativistas nas ações, nomeadamente o co-fundador da Chewy Inc. Ryan Cohen, acabaram por começar a comprar. No final de Outubro, Senvest possuía mais de 5% da empresa, pagando menos de 10 dólares por ação pelo grosso das ações.

Eles pensaram que se a GameStop pudesse aguentar até que a próxima geração de consolas de videojogos saísse e alimentasse a procura de jogos e acessórios, a empresa receberia um impulso. E pensaram, se o Sr. Cohen pudesse ajudar a transformar a GameStop de detentora de lojas físicas, de tijolos e cimento, que teriam uma morte assegurada, para passar a ter lojas de venda de jogos em linha, virtuais, a empresa poderia valer muito mais.

Claro que existem os fundamentais económico-financeiros, mas duvidamos que essa tenha sido a razão para a acumulação acelerada de ações da GME por parte da Senvest. Algo nos diz que houve outros fatores que motivaram a onda de compra urgente, especialmente desde que o artigo original sobre a Reddit, “a queima do século das vendas a descoberto”, que despertou o interesse dos operadores em bolsa a retalho pelo nome, apareceu no início de Setembro por volta da altura em que Senvest começou a adquirir ações, de acordo com o Journal. Quase nos perguntamos se os dois acontecimentos não estão ligados.

Diz-se no texto: “Sup-jogadores”. Sentem-se mal por perder o comboio de ganho na Tesla? Não tenha medo – algo muito maior e mais estúpido está aqui. Conhece a Citadel? O criador de mercado levou todo o nosso dinheiro hoje? Bem, agora finalmente não vamos ficar à mercê dos criadores de mercado. Em vez disso, vamos juntar temporariamente forças com o Império Galáctico e sequestrar a estrela da morte”.

O texto lança-se então numa explicação relativamente sofisticada sobre como e porquê orquestrar uma liquidação forçada das vendas a descoberto:

Esta viragem vai fazer com que a grande queimadura que os vendedores a descoberto sofreram com a Tesla pareça um chá quente de fim de tarde.

Porquê? Bem, a maioria das liquidações forçadas das vendas a descoberto são na sua maioria matemáticas. Esta é especial porque temos matemática e temos também grandes notícias subjacentes.

Para ser claro, isto vai acontecer quer participemos ou não. Eu prefiro que nós, idiotas, façamos parte da história. Eis o que se passa:

Taxa das operações em venda a descoberto:

A GME tem actualmente entre 85% – 99,8% de vendas a descoberto, dependendo do sítio que utiliza. Para contextualizar, 20% já é considerado alto como a lua. A TSLA e a NFLX estavam cerca de 30-40% no seu pico. Mas a atual taxa de operações a descoberto da GameStop é superior a 110%.

Aqui está uma forma simples de enquadrar a linha do tempo:

Apenas alguns meses mais tarde, em Dezembro, a tese da posição longa em GameStop (a posse de títulos) recebeu um grande impulso, tanto entre a comunidade institucional de retalho (fora da WallStreetBets) como na comunidade institucional de grau C, quando Hedgeye, que vende investigação a clientes, lançou o nome.

A 17 de Dezembro, quando as ações da GME fecharam a $14,83, Hedgeye disse aos seus clientes que a GameStop era uma das suas “Melhores Ideias” e fez uma apresentação sobre a razão pela qual o capital social, negociando depois a $14,83, poderia eventualmente valer $100. O que os clientes de Hedgeye não sabiam – de acordo com o WSJ – é que Senvest lhes tinha lançado a ideia.

Claro que, para a Hedgeye seria um golpe de misericórdia se se soubesse que a empresa não era um “fornecedor independente de pesquisa” mas sim um intermediário e facilitador para os fundos de cobertura de risco que tinham investido em negócios e depois usaram a rede de clientes da Hedgeye como um sistema de amplificação… semelhante ao que muitos acusam os fundos de risco de cobertura de estarem a fazer com r/wallstreetbets neste momento. É por isso que o conselheiro negou que a atualização da posição de investidor fosse impulsionado unicamente pelos sussurros de Senvest (só podemos assumir que Senvest é também um cliente): “Eu respeito muito Senvest. Examinámo-lo de forma independente e chegámos a uma conclusão semelhante”, disse o analista de Hedgeye Brian McGough.

De qualquer modo, em finais de Dezembro – entre clientes Wallstreetbets e clientes Hedgeye, a tese já se encontrava amplamente difundida entre a comunidade retalhista, um processo que acabaria por culminar com a explosão do preço das ações em finais de Janeiro. Porquê? Porque a narrativa predominante era uma narrativa em que um ou mais fundos de cobertura de risco nunca seriam capazes de cobrir as suas posições de risco porque não havia suficientes títulos disponíveis no mercado para executar a cobertura, um processo que o mundo encontrou pela primeira vez com a Volkswagen, levando a uma enorme liquidação forçada das posições a descoberto. Uma liquidação com a qual Senvest, por acaso, estava demasiado familiarizada. O WSJ escreve:

Os Srs. Mashaal e Gonick já tinham estado do lado errado da liquidação forçada antes em Senvest. Um caso desses verificou-se com o fabricante de opiáceos Insys Therapeutics Inc., embora acabassem por ganhar dinheiro com a sua posição curta. As ações da GameStop poderiam disparar se estas fossem levadas a uma situação em que o seu preço crescente obrigasse os investidores em baixa a começarem a comprar as ações vendidas a descoberto para limitar as suas perdas, pensaram eles.

Eles pensaram… e tinham razão. Tudo o que precisavam era de uma massa crítica de compradores para aumentar uma cascata inicial de compras que depois desencadearia a liquidação forçada e o resto é história. Foi precisamente isso que aconteceu em meados e finais de Janeiro, quando o preço das ações explodiu de 20 dólares para mais de 500 dólares.

Incapazes de acreditar nos seus olhos (ou talvez sabendo precisamente como se comportaria uma liquidação forçada tão grande) Senvest estava apenas à espera que o catalisador fizesse os seus efeitos. Conseguiram-no a 26 de Janeiro, quando o Diretor Executivo da Tesla, Elon Musk, se juntou à luta de bombeamento de stocks e Tweeteou: “GameStonk!!”.

“Dado o que se estava a passar, era difícil imaginar que o mercado ficasse ainda mais louco “, concluiu Mashaal de Senvest.

Então, apenas uma série de coincidências muito afortunadas que levam a um ganho recorde de 700 milhões de dólares ou um plano magistralmente executado, que foi traçado e executado muito melhor do que a maioria dos guiões de Hollywood?

Esperamos ter a resposta quando o Congresso realizar as suas audições sobre Gamestop, embora considerando que Maxine Waters está no comando, não estaremos a suster a respiração.

____________________

O autor: Tyler Durden é um pseudónimo sob o qual escrevem os analistas da ZeroHedge. O fundador e editor principal de ZeroHedge foi identificado como sendo Daniel Ivandjiiski [1978-], búlgaro de nascimento, licenciado pelo American College de Sófia. Entretanto mudou-se para os Estados Unidos onde estudou biologia molecular na Universidade da Pensilvânia. Em Julho de 2001, juntou-se ao New York Investment Bank, Jefferies & Co. Passou nos seus exames de -valores Mobiliários em Novembro de 2001 (Série 7 e Série 63). Em Outubro de 2004, juntou-se ao banco de investimento Imperial Capital LLC, sediado em Los Angeles, antes de voltar a Nova Iorque em Maio de 2005 para se juntar ao banco de investimento Miller Buckfire LLC. Enquanto esteve na Miller Buckfire, Ivandjiiski foi acusado pela FINRA de ganhar US$780 de uma operação com informação privilegiada a 14-15 de Março de 2006, e por decisão da FINRA em 2008 veio a ser impedido de actuar como corretor ou de se associar de outra forma a uma firma de corretagem, e de ser membro da FINRA. Em Setembro de 2007, antes da decisão da FINRA, Ivandjiiski mudou-se para o fundo de cobertura Wexford Capital LLC, sedeado em Connecticut, dirigido por antigos operadores da Goldman Sachs. Após a decisão da FINRA, Ivandjiiski deixou Wexford Capital, e dentro de poucas semanas publicou o seu primeiro blogue no site Zero Hedge em 9 de Janeiro de 2009. (consultado em Wikipedia, aqui).

 

 

 

 

 

Leave a Reply