CARLOS REIS – BILL EVANS – I – o poema de ALBERTO LACERDA

 

(1929 – 1980)

 

 

Na 3ª  sessão POEZZ (Casa Fernando Pessoa), José Duarte referiu a genialidade de Bill Evans e leu, do seu livro POEZZ, um poema de Alberto de Lacerda (Ilha de Moçambique, 1928 – Londres, 2007).

Díptico para Bill Evans

I

Tocava
Muito inclinado
Como quem ouve
Cada vez mais fundo

II

Não tocava

Abria um espaço
Que nos permitia
Ouvir

 

Alberto Lacerda

Leave a Reply