PALCO 84 – DRAMATÍCULOS DE SAMUEL BECKETT, – pela Companhia de Teatro Público Reservado no TMR (Julho de 2021) – por Roberto Merino

 

 

“Tempo e morte. Tempus fugit.
Falar nos intervalos da morte: numa cadeira ou numa urna pré-funerária, em toda a parte. O homem é o único animal a quem foi dada a linguagem e com esta a possibilidade de povoar o mundo de nomes, cognomes, regras.
Babel, a torre das línguas, nunca desapareceu – porque o gesto da fala pede o exercício da escuta e a palavra é o poliedro novariniano.
Entre a tragédia de existir e o abismo de desaparecer, Beckett escolhe doar-nos, malgré tout, figuras humanas, vozes e rarefação.
Face à morte, falar.
Pode o teatro ser ainda esta ágora a meio caminho do verbo criador e da morte?
Cremos que sim, eis-nos aqui.”
— Renata Portas 

https://www.teatromunicipaldoporto.pt/pt/noticias/entrevista-renata-portas-2021-06-29/

https://glam-magazine.pt/dialogo-entre-renata-portas-e-beckett-em-estreia-no-rivoli/

 

Esperando a Godot, Instituto de Teatro de la Universidad de Chile, 1966 (Na fotografía: Lucho Barahona, Franklin Caicedo, Agustín Siré e Roberto Parada)

 

 

Leave a Reply