Martin Waldseemüller, cartógrafo, homenagem 500 anos de sua palavra “América” (1507-2007) – por Sílvio Castro

 

De ocidente parte do oceano mar o sonho
aberto para mais que ilha, mais que sonho,
à figuração do istmo terra continente
em direta vertical limitada no infinito.

Do norte parte em busca do nadir
fugente, estrugente e oculto, este
limite finisterra entre o passado
e os sonhos venturosos do devir.

Por navegações em mar oceano, sonhos
mais que sonhos se fazem terras
abertas à visão do paraíso
reconquistado à noite já passada.

Mais que ilha, mais que istmo, sonho
de uma terra venturosa que sendo
nomeada América inicial é para sempre
a terra Brasil dos sonhos surtida.

América do início mágico insular,
logo terra Brasil para sempre singular.

 

 

(do livro Poemas Construtivos, 2007)

 

Leave a Reply