A GRANDE POESIA – “Comigo me desavim” – Sá de Miranda

Um Café na Internet

 

 

Sá de Miranda

 

Comigo me desavim

 

Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo;
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor, da gente fugia,
Antes que esta assim crescesse:
Agora já fugiria
De mim, se de mim pudesse.

Que meio espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Pois que trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?

 

 

  

Francisco de Sá de Miranda (Coimbra, 1481- Amares, 1558), poeta português, amigo de Bernardim Ribeiro, compôs cantigas, vilancetes e esparsas, ao gosto da época, influenciando os poetas que se lhe seguiram, incluindo Camões.

 

 

 

Leave a Reply